Notícias » Estados Unidos

Trump afirma que ataque em Bagdá foi necessário para “conter o terror”

Após ataque em Bagdá que tirou a vida do general Qassen Suleimani, o presidente dos EUA relatou que "O mundo é um lugar mais seguro sem esses monstros"

Redação Publicado em 03/01/2020, às 19h33

Donald Trump em aparição pública
Donald Trump em aparição pública - Getty Images

Após o ataque realizado pelos EUA no aeroporto de Bagdá, que resultou na morte do general Qassen Suleimani e outras oito pessoas, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, informou que o ato foi necessário para, de acordo com suas próprias palavras, “conter o terror”.

Durante um pronunciamento que ocorreu na tarde desta sexta-feira, 3, Trump afirmou que o país não tem a intenção de iniciar um conflito no Oriente Médio."Não procuramos mudanças de regime", explicou Trump. "No entanto, a agressão do regime iraniano na região, incluindo o uso de pessoas para desestabilizar seus vizinhos, deve terminar, e deve terminar agora".

Em nota, o Pentágono relatou que Suleimani foi responsável pelo óbito de americanos no Irã e que o objetivo do presidente era evitar possíveis planos de ataque no futuro. "O general Suleimani estava desenvolvendo ativamente planos para atacar diplomatas e militares americanos no Iraque e em toda a região", afirmou o comunicado oficial.

"Recentemente, Soleimani liderou a brutal repressão de manifestantes no Irã, onde mais de mil civis inocentes foram torturados e mortos por seu próprio governo", alegou o presidente hoje. 

Suleimani era uma autoridade de influência máxima no Irã. Ele representava as forças armadas do país desde 1990 e também foi eleito em 2017 como uma das cem pessoas mais relevantes pela revista Time. O episódio pode aumentar as tensões entre o Irã e os Estados Unidos.