Notícias » Estados Unidos

Trump não assina lei que distribuiria US$ 900 bilhões para ajudar nos impactos causados pelo coronavírus

O atual presidente norte-americano exigiu que mudanças fossem realizadas no texto que já havia sido aprovado pelo Congresso

Redação Publicado em 23/12/2020, às 07h08

Fotografia de Donald Trump
Fotografia de Donald Trump - Wikimedia Commons

De acordo com informações do portal de notícias G1, na última terça-feira, 22, o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusou a assinar uma lei que iria implementar um pacote de alívio econômico avaliado em US$ 900 bilhões, para auxiliar nos impactos e crises causados pela pandemia do novo coronavírus no país.

Segundo revelado na publicação, o político exigiu alterações no texto que já havia sido aprovado pelo Congresso norte-americano. "Realmente é uma vergonha", disse Trump sobre o projeto. 

O atual presidente dos EUA criticou principalmente a inclusão de ajuda financeira para pessoas que moram nos Estados Unidos em situação irregular, além de provisões e auxílio para outros países.

"Pedirei ao Congresso que elimine imediatamente os itens inúteis e desnecessários dessa legislação e apenas me envie um projeto de lei adequado", afirmou o norte-americano.

Sabe-se que o projeto de lei incluía distribuir pagamentos para a população em situação vulnerável, além de também destinar uma quantia para ajudar na distribuição da vacina contra o novo coronavírus.

De acordo com as últimas informações publicadas pelos órgãos de saúde, atualmente, os Estados Unidos registram 18.284.729 milhões de casos de Covid-19 e as mortes já passam de 323 mil.

Sobre Donald Trump

Donald Trump nasceu e cresceu no Queens, entre seus quatro irmãos. Seu pai, Fred, é descendente de imigrantes alemães, enquanto sua mãe, Mary Anne, migrou da Escócia em 1930. Na faculdade, recebeu o diploma de bacharelado em economia, pela Wharton University of Pennsylvania, em 1968.

Aos 25 anos, recebeu a empresa de imóveis e construção de seu pai. À frente da Trump Organization, Donald recebeu o título de magnata. Em 2015, anunciou sua nomeação para a presidência dos EUA pelo Partido Republicano.

Durante sua campanha, Trump usou de discursos de cunho populista e anti-imigração, sempre lembrando seu lema: “Make America great again”.

Em 2016, o republicano derrotou a democrata Hillary Clinton e se tornou o 45º Presidente dos Estados Unidos. Aos 70 anos, ele foi a pessoa mais velha a assumir o cargo.