Notícias » Brasil

"Tudo quando eles perdem, diz que é golpe", diz Bolsonaro sobre a esquerda latino-americana

O presidente não percebeu que seu microfone ainda estava ligado e reclamou sobre as acusações de golpe na Bolívia

Isabela Barreiros Publicado em 05/12/2019, às 16h43

Presidente Bolsonaro durante reunião em Pequim, na China
Presidente Bolsonaro durante reunião em Pequim, na China - Getty Images

O presidente Jair Bolsonaro, sem perceber que seu microfone estava aberto, fez uma declaração sobre as esquerdas da América Latina. A crítica envolveu as acusações de golpe feitas por políticos sobre a situação da Bolívia durante a reunião de presidentes do Mercosul.

O flagra aconteceu logo após a fala da vice-presidente do Uruguai, Lucía Topolansky, que alegava que a Bolívia sofria com uma "quebra institucional” após a renúncia do ex-presidente Evo Morales no dia 10 de novembro.

"Queria continuar presidente [do Mercosul], não dá para dar um golpe não? Tudo quando eles perdem, diz que é golpe. É impressionante né?", disse Bolsonaro ao presidente do Paraguai Mario Abdo Benitez, depois de entregar a ele o martelo que simboliza a presidência pro-tempore do Mercosul.

O Brasil foi o único país a reconhecer de imediato o governo da autoproclamada presidente interina boliviana, Jeanine Áñez. A chanceler do país, Karen Longaric, foi à reunião representando a política. "Na Bolívia não houve uma quebra de institucionalidade. A força moral do povo boliviano que obrigou Evo Morales a deixar a Presidência”, alegou Áñez.