Notícias » Arqueologia

Túmulo neolítico de 6 mil anos é alvo de vandalismo nas Ilhas do Canal

O local, próximo a região costeira da Normandia, foi danificado por criminosos que ainda não foram encontrados

Alana Sousa Publicado em 10/11/2020, às 12h25

O sítio arqueológico de La Pouquelaye de Faldouet
O sítio arqueológico de La Pouquelaye de Faldouet - Wikimedia Commons

Pesquisadores encontraram danos humanos nos monumentos do sítio arqueológico de La Pouquelaye de Faldouet, localizado em Jersey, a maior das Ilhas do Canal, próximo a costa da Normandia. O ato de vandalização aconteceu em um túmulo neolítico de seis mil anos.

A depredação foi identificada por arqueólogos da Société Jersiaise (fundada em 1873), que revelaram que o buraco de 2,5 centímetros era igual em largura e profundidade e, possivelmente, foi feito por criminosos que queriam extrair cristais de quartzo do local. “Todas as evidências apontam para danos criminais deliberados”, disse Alastair Best, presidente da Instituição.

Arqueólogos da Société Jersiaise / Crédito: Divulgação

 

“As pessoas não sairiam por aí cortando pedaços de igrejas e quem quer que tenha feito isso deve ser extremamente egoísta. Pode afetar a integridade estrutural da pedra”, acrescentou Nicolette Westwood, arqueóloga e líder do setor na Société.

Além de descrever os vândalos como egoístas, moradores locais também foram instruídos pelas autoridades a denunciarem qualquer barulho ou suspeita de ações na região do sítio arqueológico. Quanto aos criminosos, a polícia ainda não tem pistas, mas pede ajuda da população.