Notícias » Espanha

TV pública espanhola pagou 184 mil euros para transmitir documentários conspiracionistas sobre grandes personagens históricos

O dinheiro foi pago para o Institut Nova Història, uma instituição que acredita diversas personalidades históricas eram catalãs

Wallacy Ferrari Publicado em 17/03/2020, às 10h58

Trecho do documentário "Desmontando a Leonardo", produzido pelo INH, desmistificando sua obra
Trecho do documentário "Desmontando a Leonardo", produzido pelo INH, desmistificando sua obra - Divulgação

Uma investigação de transparência, publicada pelo El País, revelou que a Catalan Audiovisual Media Corporation, associada a TV3, a televisão pública da Catalunha, pagou 184 mil euros para transmitir, entre 2003 e 2019, seis documentários sobre teorias de conspiração baseadas em hipóteses de membros do Institut Nova Història (INH).

O INH é composto majoritariamente por líderes políticos e historiadores amadores, que levantam diversas teorias sobre a origem de diversas pessoas importantes para a história da humanidade como cidadãos catalães. De acordo com o instituto, Leonardo da Vinci, William Shakespeare e Cristóvão Colombo eram algumas dessas personalidades.

Em suas teorias, acreditam que Miquel Sirvent foi quem escrever Don Quixote, mas traduziu para o espanhol pela censura na época e viu seu trabalho ser publicado em inglês pelo nome de Shakespeare. Já Colombo não havia partido de Huelva quando descobriu a América, mas de Empordà, município catalão. Nenhuma das teorias do grupo possui veracidade acadêmica.

Os contratos estão sendo reavaliados pelo governo e chegou a ser motivo de discussão no Congresso: “Nenhuma pseudociência ou pseudo-história deve ser financiada com dinheiro público. Nem terraplanismo, nem anti-vacinação, nem o Institut Nova Història ”, afirmou Gabriel Rufián, líder da esquerda republicana na assembleia.