Notícias » Estados Unidos

Estados Unidos cria universidade fajuta para deportar estudantes estrangeiros

Ao total, mais de 600 alunos caíram no golpe da Universidade de Farmington

Daniela Bazi Publicado em 03/12/2019, às 15h41

Estudantes na Universidade de Hampshire
Estudantes na Universidade de Hampshire - Getty Images

A Universidade de Farmington parecia ser uma instituição de ensino comum. Era ativa nas redes sociais, tinha emblema e slogan, exibia todos os documentos necessários e cobrava anualmente quase 12 mil dólares (cerca de 50 mil reais) por aluno.

No entanto, a simpática instituição não passava de um esquema criado para uma operação do Serviço de Controle e Imigração Aduaneira dos Estados Unidos (ICE, na sigla em inglês), que tinha como objetivo prender e deportar estrangeiros que permaneciam ilegalmente no país como estudantes.

Segundo a investigação e documentos entregues à justiça, muitos haviam se matriculado pelo programa Formação Prática Curricular, que permitia a permanência e o trabalho nos Estados Unidos apenas com o visto de estudante.

Em comunicado à imprensa, o procurador geral federal Matthew Schneider disse “Todos sabemos que os estudantes internacionais podem ser um ativo valioso para o nosso país, mas, como este caso demonstra, o bem-intencionado programa de visto de estudante internacional também pode ser explorado de um jeito abusivo".

Autoridades afirmam que os alunos tinham consciência sobre a farsa, e mesmo assim se matriculavam, com a esperança de permanecer legalmente no país. Já os advogados de alguns estudantes acusam o governo americano de ter se aproveitado de pessoas vulneráveis e tomado milhares de dólares dos mesmos. A Procuradoria Federal dos Estados Unidos diz que não houve reclamações pela cobrança na operação.

Ao total, aproximadamente 600 estudantes foram atraídos pelo esquema, onde mais de 250, em sua maioria indianos, já foram deportados para seus países, e outros aguardam o processo em varas de imigração. Oito dos supostos recrutadores da universidade foram acusados de conspiração para cometer crimes.