Notícias » Ásia

Universidade mais antiga de Hong Kong removerá estátua sobre Massacre da Praça da Paz Celestial

A escultura homenageia manifestantes mortos durante episódio trágico

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Penélope Coelho Publicado em 09/10/2021, às 09h25

Homem se posiciona em frente de fileira de tanques de guerra em 1989
Homem se posiciona em frente de fileira de tanques de guerra em 1989 - Divulgação / YouTube / Museu de Imagens

A universidade mais antiga de Hong Kong ordenou a retirada de uma escultura instalada no campus da instituição que homenageia ativistas mortos durante os protestos na Praça da Paz Celestial, em 1989. A decisão foi revelada em uma carta legal, publicada na última sexta-feira, 8.

Confeccionada em cobre, a peça possui oito metros de altura e retrata 50 rostos angustiados e empilhados, formando uma espécie de obelisco humano de cabeças. Foi nela que em 4 de junho dos últimos anos, os estudantes da universidade e familiares de vítimas do massacre se reuniam em vigílias.

A carta, entregue à Aliança de Hong Kong (HKA), exigiu que a instituição "tome imediatamente as medidas necessárias para retirar a escultura das instalações da universidade". A data final da retirada voluntária estipulada no documento é até às 09h00 GMT (06h00 em Brasília) de 13 de outubro.

"Se não removerem a escultura, será considerada como abandonada", acrescentou o documento, como informa o portal UOL. O escultor dinamarquês Jen Galschiot, responsável pela obra, criticou a retirada: “Isso seria historicamente correto. É uma obra de arte importante que tem um vínculo histórico com Hong Kong e deveria permanecer em solo chinês", disse ao veículo.