Notícias » Pandemia

Velocidade de disseminação da ômicron preocupa OMS

Diretor da organização internacional afirmou que o número de casos, por si só, já pode sobrecarregar hospitais

Ingredi Brunato, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 16/12/2021, às 17h00

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Divulgação/ Pixabay/ neelam279

Tedros Adhanom, o diretor-geral da OMS (Organização Mundial de Saúde), comentou durante uma coletiva de imprensa que a velocidade com a qual a ômicron está se espalhando é superior à de quaisquer cepas do Coronavírus que vieram antes.

"Estamos preocupados que as pessoas estejam desconsiderando a Ômicron como sendo leve. Certamente, nós aprendemos agora que subestimamos este vírus e o risco. Mesmo que a Ômicron cause doenças menos graves, o grande número de casos pode, mais uma vez, sobrecarregar os sistemas de saúde despreparados”, alertou ele, segundo a CNN.

O Reino Unido, por exemplo, teve uma alta recorde de novos casos na última quarta-feira, 15, alcançando 78.610 infecções registradas em um só dia. Essa piora da pandemia no país é atribuída justamente à chegada da ômicron ao território.

Outro detalhe é que, na cidade de Londres, a variante de preocupação já substituiu a delta como cepa dominante do vírus em circulação.

A realidade é que a Ômicron provavelmente está na maioria dos países, mesmo que ainda não tenha sido detectada”, disse Tedros

Para piorar a situação, na última terça-feira, 15, os cientistas da África do Sul deram a confirmação de que as vacinas com que contamos atualmente são um pouco menos eficientes contra a mutação, ainda de acordo com o veículo.

A princípio, a maioria dos pacientes contaminados no país apresentam casos mais brandos, porém ainda não é possível confirmar se isso é uma característica da ômicron em si, ou uma consequência da população sul-africana já ter tido uma grande exposição ao coronavírus anteriormente, por exemplo.