Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Veterano canadense do Dia D morre um dia antes de retornar à França

Nesta semana, William Cameron iria retornar à França para comemoração dos 80 anos do Dia D e da Batalha da Normandia; porém, seu destino foi diferente

William Cameron (à esquerda) a bordo do HMCS Kitchener - Divulgação/Governo do Canadá
William Cameron (à esquerda) a bordo do HMCS Kitchener - Divulgação/Governo do Canadá

Um veterano canadense de 100 anos, que lutou na Segunda Guerra Mundial, faleceu um dia antes de retornar à França, para uma comemoração dos 80 anos do Dia D e da Batalha da Normandia.

A morte de William Cameron foi anunciada pelo perfil do X (antigo Twitter) do Ministério de Assuntos de Veteranos do Canadá. Na ocasião, ele estava pronto para viajar à França, na companhia de uma delegação canadense que participaria de cerimônias nesta semana.

Conforme repercutido pelo The Guardian, Cameron atuou como um artilheiro antiaéreo em um navio de guerra que escoltou barcos americanos no Dia D e na Batalha da Normandia.

Antes de seu falecimento, ele relatou em uma gravação do museu Juno Beach Centre, na Normandia, que ele e sua tripulação, a única embarcação canadense a alcançar as praias durante a invasão, receberam ordens na praia de Omaha para “proteger todos os homens nas embarcações que desembarcavam nas praias”.

Ficamos todos muito assustados. Não há dúvida sobre isso, especialmente quando a aeronave [inimiga] estava vindo direto para você.”, disse ele no vídeo. 

Na ocasião, alguns membros da tripulação de seu navio sofreram ferimentos, mas nenhum faleceu durante o combate. A guerra tirou a vida de cerca de 45 mil canadenses, sendo 5.500 na Batalha da Normandia e 381 no Dia D.

Reconhecimentos

Em 2015, Cameron foi agraciado com a Legião de Honra da França, a mais alta distinção do país, em reconhecimento à sua contribuição para a libertação do país.

Ainda nesta semana, o presidente francês, Emmanuel Macron, receberá Joe Biden, o rei Charles III e o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, nas praias da Normandia, representando os três principais países envolvidos no desembarque de 6 de junho de 1944. 

Além deles, cerca de 200 veteranos, a sua maioria com idade próxima ou superior a 90 anos, também são esperados para o evento.