Notícias » Estados Unidos

Viagem intercontinental: homem recupera capacete cinco anos após perdê-lo no rio Mississipi

Objeto foi encontrado há quase 8 mil quilômetros de distância — em uma praia na Irlanda

Fabio Previdelli Publicado em 16/03/2020, às 16h00

Capacete encontrado em praia da Irlanda
Capacete encontrado em praia da Irlanda - Divulgação

Existe um ditado popular que diz: “o bom filho a casa torna”. A máxima pode ser aplicada sempre que alguém retorna a um lugar que há muito tempo não ia — retomando assim um costume.

E parece que a frase, agora, ganhou um novo sentido para Matthew Bonnette. Em 2015, ele trabalhava em Belle Chasse, Louisiana, perto de Nova Orleans, quando seu capacete personalizado do time universitário de futebol americano do LSU Tigers caiu no rio Mississipi. Na época, Bonnette chegou a perder as esperanças de encontrar a peça e pensou tê-la perdido para sempre.

Agora, 5 anos depois — e quase 8 mil quilômetros de distância —, o objeto, finalmente, será devolvido ao seu dono. Isso porque, Liam McNamara achou o capacete em uma praia em Fanore, no Condado de Clare, na Irlanda, e o devolverá para seu dono.

McNamara percebeu que o objeto, pintado nas cores roxa e dourada da Universidade Estadual da Lousiana, tinha um adesivo intacto com o nome da União Internacional de Engenheiros Operacionais.

Assim, ela fez uma postagem em um grupo do Facebook e, dois dias depois, a esposa de Matthew, Nicole Bonnette, entrou em contato com ela. Nicole explicou o que aconteceu com o capacete a importância dele para seu marido.

"Ele perdeu o capacete pouco antes de nosso filho nascer em 2015 e ele completará cinco anos em 18 de abril! Isso significa que o capacete esteve viajando por todo esse tempo. É realmente incrível”.

"Espero que Matthew receba o capacete na próxima semana, para que ele possa voltar a usá-lo com orgulho. Especialmente desde que os LSU Tigers venceram o Campeonato Nacional dos EUA este ano. Foi uma jornada incrível para um capacete e são histórias como essa que me mantêm viciado em beachcombing [pessoas que vão até as praias procurar coisas de valor] ", concluiu Liam McNamara.