Notícias » Mundo

Vídeo: Homem mata cartomante dizendo que foi vítima de 'bruxaria'

Cãmera de segurança registrou o momento da fuga; veja o vídeo

Alan de Oliveira | @baco.deoli, sob supervisão de Isabela Barreiros Publicado em 06/05/2022, às 09h07

Cartomante e homem que disparou 2 tiros
Cartomante e homem que disparou 2 tiros - Divulgação/Facebook / Youtube/Canal CBS

A polícia de Nova York está investigando o caso de Ana Torres, 51 anos, morta a tiros, em sua própria casa que fica localizada no bairro do Queens. Em primeira investigação, chegou-se a conclusão que a cartomante teria enfurecido um dos seus clientes, um homem de 41 anos, que fez os disparos na última quarta-feira, 4.

Guiseppe Canzani é o nome do acusado que disse ter cometido o homicídio por “ela ser uma bruxa”. Segundo o homem, Torres teria feito um feitiço e maldições para ele não ter sucesso em nada da vida, além de sua morte, conforme apuração do jornal The New York Times. Os vizinhos alegam ter ouvido discussões antes dos disparos ocorridos por volta das 14h30.

"Se eu te contar o que está acontecendo comigo, você não acreditaria. Não à toa, eu já deveria estar morto, isso é tudo que eu sei. Essa mulher, vocês nunca vão entender. Vocês pensariam que eu sou louco", disse Canzani aos policiais.

Os tiros aconteceram após conversa em tom caloroso, porém, que não durou muito tempo. Ao abrir a porta de sua casa, Ana já se deparou com Canzani apontando uma arma em direção da sua cabeça. Um dos dois tiros efetuados acabou pegando em cheio o crânio e ela morreu imediatamente com o disparo.

O marido da vítima, David Aguilar, falou sobre o ocorrido: "Guiseppe destruiu meu mundo. Eu nunca o vi antes. Eu gostaria de poder chegar até ele agora, mas não posso. Ele foi preso, mas está reivindicando um advogado. Os policiais não deveriam questioná-lo". 

"O atirador fugiu em um Chevy Traverse preto após os disparos", informou o vice-chefe da polícia de Nova York, Jerry O'Sullivan, em coletiva de imprensa na noite de quarta-feira, 4.

Vídeo mostra momento em que Canzani sai do local com a arma na mão, indo em direção ao seu carro, veja:

Consequências do crime 

Poucas horas após os vizinhos chamarem a polícia ao ouvirem barulhos mais fortes, os oficiais conseguiram evidências ao chegarem ao local e, uma hora mais tarde, o criminoso compareceu à 106ª delegacia, colocando o revólver do crime na calçada e se rendendo.

A polícia confirmou em interrogatórios que o acusado e vítima tinham uma relação não muito próxima, e agora, ele é acusado de homicídio doloso e posse criminosa de arma carregada, conforme informou o portal UOL.