Notícias » Reino Animal

Vídeo mostra cena rara de tartaruga caçando passarinho e quebrando seu crânio

A interação dos animais é o primeiro registro de "caça deliberada" entre espécies de tartarugas; assista

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 24/08/2021, às 09h53

Momentos antes de tartaruga matar filhote de pássaro
Momentos antes de tartaruga matar filhote de pássaro - Divulgação/Youtube/The Guardian

Uma cena rara foi registrada por uma câmera na Ilha Frégate, no arquipélago de Seychelles no Oceano Índico, à costa leste da África. Anna Zora, vice-gerente de conservação e sustentabilidade da ilha, foi responsável por filmar uma tartaruga caçando um pequeno pássaro.

Segundo o principal autor do estudo, Justin Gerlach, da Universidade de Cambridge, “havia algo estranho na maneira como [a tartaruga] estava se comportando". A tartaruga gigante das Seychelles, da espécie Aldabrachelys gigantea, estava caminhando de maneira agressiva, diferente do normal.

O animal chegou perto de uma andorinha-do-mar juvenil, da espécie Anous tenuirostris, e, em uma interação que durou sete minutos no total, cercou o filhote, o caçando e mastigando seu crânio. As conclusões dos pesquisadores sobre o episódio foram publicadas no periódico Current Biology e repercutidas pelo portal LiveScience.

O estudo aponta que esse foi o primeiro registro de “caça deliberada” praticada por qualquer espécie de tartaruga, o que surpreendeu os cientistas. Embora o vídeo mostre apenas a morte do pássaro, Anna Zora, que capturou a cena, ressalta que a tartaruga se alimentou do pequeno filhote pouco depois.

Em toda a gravação, é possível perceber que ela está tentando “ferir o pássaro”, como escrevem os pesquisadores no artigo. O animal persegue o menor e, quando consegue chegar mais perto, prende o bico em volta da cabeça do pássaro, o que faz com que ele morra imediatamente. 

"Estaríamos diante do 'redesenvolvimento' de comportamentos que costumavam existir no passado", apontam os especialistas “ou podemos estar diante da evolução de um comportamento totalmente novo". 

Seja qual for o caso, eles concluem que o comportamento da tartaruga é "tão estranho à maneira como pensamos sobre as tartarugas" e aponta que a espécie pode ser muito mais complexa do que pensávamos, segundo Justin Gerlach