Notícias » Entretenimento

Vídeo reacende ‘polêmica’ sobre Titanic: “Só havia espaço para uma pessoa”

Diretor do longa, no entanto, define questão como irrelevante e ‘estúpida

Fabio Previdelli Publicado em 24/03/2022, às 13h12

Uma das cenas mais famosas do filme Titanic
Uma das cenas mais famosas do filme Titanic - Divulgação/Paramount Pictures

Titanic é um clássico do cinema mundial. A obra que relata o acidente real envolvendo o RMS Titanic, que aconteceu entre os dias 14 e 15 de abril de 1912, quando cerca de 1.500 pessoas morreram, ainda hoje é debatido entre o grande público, mesmo após 24 anos de seu lançamento no Brasil.

Um dos pontos altos da discussão, sem dúvida alguma, é se Jack (vivido por Leonardo Di Caprio) teria espaço ou não no pedaço de uma porta de madeira que ele cede para Rose (Kate Winslet) se abrigar após a colisão do icônico navio com um iceberg. 

Muitos acreditam que os dois caberiam no espaço, o que, em tese, salvaria os protagonistas da história. No entanto, um ponto de vista trazido pelo influenciador Jtallan em seu TikTok gerou incertezas sobre o assunto. 

@jtallan Did you know this? I love the history and facts in #disney#titanic#titanicmovie#titanicdoor#disneyparks#disneyworld#disneysprings#jtallan @disneyparks @disney ♬ Love You So - The King Khan & BBQ Show

Segundo Jtallan, a porta utilizada no filme de James Cameron pode ser vista em um quadro do restaurante Planet Hollywood, que fica no Disney Springs. Depois de mostrar a porta, diversos internautas reavaliaram sua visão sobre a cena. 

Retiro o que disse, só havia espaço para uma pessoa", escreveu uma usuária da plataforma de vídeos. Entretanto, outro se demonstrou reticente com seu pensamento: “Eu sempre direi que há espaço para os dois na porta”. 

Pontos de vista à parte, a questão já foi levada à Cameron anteriormente. Em entrevista à BBC Radio 1, em 2019, o cineasta disse que o debate era irrelevante e “estúpido”, visto que o destino de Jack já estava traçado, portanto, ele teria que morrer em algum momento. 

"O filme é sobre morte e separação; ele tinha que morrer. Então, fosse isso, ou se uma chaminé caísse sobre ele, ele estava caindo. Chama-se arte, as coisas acontecem por razões artísticas, não por razões físicas", declarou.