Vikings invadiram a Europa porque queriam casar

Desigualdade na distribuição parceiras levou os nórdicos à violência, diz antropólogo

Fábio Marton Publicado em 25/11/2016, às 14h06 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h35

Rollo e a Princesa Gisla na série Vikings. Saqueadores eram corações solitários.
Rollo e a Princesa Gisla na série Vikings. Saqueadores eram corações solitários. - History Channel / Divulgação

Que bicho mordeu os Vikings de atacar o resto da Europa no século 8? Até então, eram pacíficos fazendeiros e comerciantes. 

Historiadores se debruçavam sobre a questão, sem consenso. Alguns diziam que houve uma explosão populacional, fazendo-os desejar novas terras. Outros falavam em melhorias na tecnologia naval, que tornaram viáveis suas viagens. O antropólogo biológico Mark Collard, da Universidade Simon Fraser (Canadá) tem outra resposta: sexo.

Através das sagas e achados arqueológicos, Collard e seus colegas concluíram num estudo que a sociedade viking havia se tornado muito desigual. Como eles eram poligâmicos, isso quis dizer que quem tinha dinheiro ficava com todas as mulheres. Aos solteiros pobres, restava tentar enriquecer depressa - ou capturar uma esposa estrangeira. As duas coisas podiam ser obtidas através de saques aos europeus ao sul.

Quanto ao porquê de as invasões terem começado nessa época específica, o antropólogo acreditar ser possivelmente relacionado à massiva entrada de moedas árabes na Escandinávia no século 8 - um resultado da ascensão do Islã. “É uma explicação bem plausível”, afirma Collard. “Porque provavelmente isso teria aumentando a desigualdade e, daí, a competição entre os homens. Mas tenho certeza que deve haver outros gatilhos que não estamos considerando.”