Notícias » Ciência

Visando redução do efeito estufa, cientistas ensinam vacas a usar banheiro

O MooLoo promete ser um importante aliado na redução de gases nocivos

Giovanna Gomes, sob supervisão de Penélope Coelho Publicado em 16/09/2021, às 08h28

Uma vaca utiliza o MooLoo
Uma vaca utiliza o MooLoo - Divulgação / BBC

Pesquisadores alemães e neozelandeses recentemente treinaram vacas para usar um banheiro criado especialmente para o gado e, desta maneira, reduzir a emissão de gases que promovem o efeito estufa. As informações são da BBC.

O projeto é importante uma vez que a amônia da urina das vacas, quando misturada ao solo, se transforma em óxido nitroso, que é um gás nocivo ao meio ambiente. No caso do experimento — realizado em uma fazenda de propriedade do Instituto de Pesquisa para Biologia de Animais de Fazenda, na Alemanha — a urina foi coletada e tratada.

Ao todo, 16 animais foram ensinados a utilizar o chamado "MooLoo" ("banheiro mu", em tradução livre do inglês).

Para isso, as vacas foram colocadas no cercado e, após urinarem, receberam ração como recompensa. Após essa estapa, elas foram levadas a uma área próxima ao MooLoo e foram recompensadas por entrarem no local correto e urinarem. No entanto, aquelas que realizaram suas necessidades fora do cercado foram borrifadas com água por três segundos.

Ao poucos, os pesquisadores foram aumentando a distância do banheiro e seguiram com o sistema de recompensas e punições. No fim, eles perceberam que 11 dos 16 mamíferos haviam aprendido a usar o banheiro.

"Muito rapidamente, com 15 a 20 idas ao banheiro em média, as vacas iniciavam elas próprias o uso do banheiro", declarou Lindsay Matthews à rádio Radio New Zealand.

"No final, três quartos dos animais estavam urinando no banheiro", afirmou a pesquisadora. Além disso, segundo o estudo, "os bezerros mostraram um nível de desempenho comparável ao de crianças e superior ao de crianças muito novas".

De acordo com os realizadores do experimento, capturar 80% da urina do gado em um modelo como este pode levar a uma redução de 56% nas emissões de amônia, além de melhorar as condições de higiene dos animais e seu bem-estar.

Confira o estudo completo por meio deste link.