Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Estados Unidos

Visitante chama atenção de Biden durante visita a memorial de massacre

O presidente norte-americano garantiu aos espectadores do local que tomaria uma atitude a respeito do episódio

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 30/05/2022, às 13h58

Trecho de vídeo mostrando Joe Biden e esposa, Jill, no local - Divulgação/ Youtube/ WFAA
Trecho de vídeo mostrando Joe Biden e esposa, Jill, no local - Divulgação/ Youtube/ WFAA

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fez nesta segunda-feira, 30, uma viagem à cidade de Uvalde, localizada no Texas, onde uma escola primária foi alvo de um sangrento tiroteio na semana passada. 

O democrata visitou o memorial montado para as 21 vítimas do ataque, que consistiram de duas professoras e 19 crianças, enquanto um agrupamento de familiares e conhecidos dos falecidos assistia. 

O político, juntamente de sua esposa, Jill, caminhou lentamente através das flores e fotografias, e depois atendeu uma missa local em homenagem aos mortos. Enquanto saíam da igreja, um dos espectadores gritou "Faça alguma coisa!", segundo repercutido pelo The Guardian, ao que Biden respondeu "Nós iremos".

Um detalhe triste é que, cerca de duas semanas atrás, o presidente visitou outro memorial criado após um episódio de violência armada, este ocorrido no supermercado de Buffalo, em Nova York, que teve motivações racistas. 

Confira abaixo um vídeo de Biden em Uvalde:

Liberdade versus controle

O massacre ocorrido na instituição de ensino provocou uma nova onda de debate a respeito da posse de armas nos Estados Unidos, que é permitida pela legislação do país.

Enquanto a liberdade de deter um desses objetos para uso pessoal é defendida por muitos, a crise de violência armada que acomete o território norte-americano desperta pedidos por maiores restrições no regulamento de armas e munições. 

A certo ponto, será nossa responsabilidade, porque votamos nessas pessoas para nos representar e eles não estão nos representando e é de partir o coração, porque então coisas assim acontecem. Algo precisa ser feito, precisamos mudar, precisamos de ajuda e meu maior medo é que nada vá mudar, e daqui a seis meses Uvalde será apenas Uvalde, será apenas história e nada terá mudado", comentou um dos moradores da cidade onde o tiroteio ocorreu, Ben Gonzalez, de 35, em uma entrevista à CNN. 

O homem pediu não apenas que houvesse um controle maior das armas de fogo, como também que fossem direcionados recursos para o cuidado da saúde mental de alunos cuja escola foi atacada por um atirador.

Recentemente, vale dizer, a vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, também manifestou-se publicamente a favor da proibição de espingardas de assalto para civis.

O adolescente que invadiu o colégio do Texas estava armado de um AR-15, rifle de estilo militar que se encaixa na categoria condenada por Harris, e o grande número de crianças que foi capaz de atingir pode ser relacionado justamente com a grande eficiência de sua arma, ainda de acordo com o The Guardian.