Notícias » Curiosidades

Voluntários estão reconstruindo avião inglês da Segunda Guerra Mundial

Apelidado de Mosquito, o modelo De Havilland foi muito utilizado pelos ingleses contra os nazistas. Foi aposentado em 1945.

Vinícius Buono Publicado em 09/09/2019, às 14h00

O De Havilland, chamado carinhosamente de Mosquito
O De Havilland, chamado carinhosamente de Mosquito - Flickr Vision

Uma equipe de voluntários está tentando reconstruir o avião De Havilland, usado ostensivamente pela RAF durante a Segunda Guerra Mundial.

Apelidado de Mosquito, o bombardeiro é feito, em grande parte, de madeira. O principal idealizador do projeto, Geoffrey de Havilland, disse que ele nem precisaria de armadura ou blindagens, de tanta velocidade. O avião atingia até 644 km/h e, apesar de ter sido planejado originalmente como um veículo de reconhecimento, sua velocidade fez com que se provasse excelente em outros tipos de missões.

A principal matéria-prima foi a madeira por causa da maior dificuldade em encontrar materiais como o alumínio em período de guerra. Além disso, muitos artesãos sabiam manuseá-la, podendo empregar mais mão-de-obra no esforço de guerra. Por isso, ganhou, também, o apelido de Maravilha de Madeira.

O De Havilland funciona com dois motores Rolls Royce, além dessa estrutura que tornou-lhe famoso. Sua velocidade e sua versatilidade faziam dele um dos aviões mais usados pela RAF durante a Segunda Guerra com bastante êxito contra os nazistas, tornando-se objeto de inveja de Hermann Göring, o ministro da aviação do Terceiro Reich, que chegou a chamar seus próprios aviões de simplórios. 

O modelo original / Crédito: Reprodução

 

Hoje, apenas quatro exemplares ainda capazes de voar existem e eles estão de posse de pessoas ou no Canadá ou nos Estados Unidos.

O último vôo feito por um dos Mosquitos, há 22 anos, foi desastroso. A aeronave caiu nas proximidades de Manchester, matando o piloto. Para garantir que não se repita, os voluntários trabalham com a Retrotec, especialistas em reconstrução de aviões.

Oito milhões de libras e 22.500 projetos originais, incluindo-se os de outros veículos aéreos como os airbuses, estão sendo usados para que uma das mais icônicas máquinas britânicas volte a cruzar os céus da Inglaterra.

Eles estão usando plataformas de crowdfunding online e já arrecadaram 106 mil libras dessa maneira. A meta é conseguir meio milhão.

Segundo Frederick Forsyth, ex-piloto da RAF e dos De Havilland (e participante do projeto), o Mosquito estará pronto para subir aos céus em três ou quatro anos.