Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Rússia

Wikipédia se pronuncia após processo movido pela Rússia

A plataforma é acusada pelo Kremlin de espalhar desinformação a respeito do conflito

Redação Publicado em 14/06/2022, às 16h05

Montagem mostrando bandeira russa e celular com exemplo de artigo da Wikipédia sendo processado - Divulgação/ Pixabay/ EvgeniT/ Freepik/ rawpixel
Montagem mostrando bandeira russa e celular com exemplo de artigo da Wikipédia sendo processado - Divulgação/ Pixabay/ EvgeniT/ Freepik/ rawpixel

A Wikipédia, famosa enciclopédia virtual que pode ser editada por qualquer pessoa, se tornou alvo de uma ação judicial por parte Roskomnadzor, a agência estatal de supervisão de comunicações do governo russo. 

De acordo com o órgão do Kremlin, a plataforma está atualmente espalhando inverdades a respeito do conflito em suas páginas "A invasão russa da Ucrânia", "Massacre de Bucha", "Bombardeio do Hospital em Mariupol", "Crimes de guerra durante a invasão da Ucrânia" e outras tantas que estão escritas em russo e disponíveis para a população do país. 

Assim, o tribunal russo de Moscou decidiu que os conteúdos deveriam ser excluídos sob uma multa de 5 milhões de rublos (ou o equivalente a 448 mil reais, na cotação atual) caso a ação não fosse cumprida, segundo informações repercutidas pelo UOL. 

Resposta 

A Wikimedia Foundation, todavia, que é a dona do portal, entrou com um recurso para contestar a decisão e evitar a penalidade financeira.

A empresa defende que a Rússia não possui a jurisdição para interferir no projeto, e destaca que os artigos sob ataque seguem os critérios de verificabilidade e confiabilidade do site. 

A Wikimedia Foundation continua comprometida em defender o direito de todos de acessar e compartilhar livremente o conhecimento. Não cumprimos nenhuma ordem do governo russo até o momento e continuaremos a cumprir nossa missão de fornecer conhecimento gratuito ao mundo", afirmou o órgão através de um comunicado que pode ser acessado aqui