Da guerra ao guarda-roupa de Elizabeth II: Como um casaco de chuva se tornou ícone da moda

O trench coat – o casaco criado para proteger militares britânicos durante as longas horas dentro de trincheiras – faz sucesso há mais de 100 anos

Laura Wie (@laura_wie), especialista em História da Moda Publicado em 25/09/2021, às 09h00

Soldado durante a Primeira Guerra com o trench coat (à esqu.) e Elizabeth II (à dir.)
Soldado durante a Primeira Guerra com o trench coat (à esqu.) e Elizabeth II (à dir.) - Domínio Público, via Wikimedia Commons e Getty Images

As guerras nem sempre trazem apenas batalhas, destruição e mortes. É geralmente durante os períodos de sérios conflitos que as áreas de pesquisa na ciência, tecnologia e infraestrutura se desenvolvem, principalmente para o avanço bélico.

Passado o momento de crise, grandes invenções, soluções e equipamentos são disponibilizados para o uso das populações e isso envolve também o vestuário.

Ao se adaptar para situações de emergência, as vestimentas evoluem e acabam oferecendo novas possibilidades que, em um curto espaço de tempo, se transformam em moda.

[Colocar ALT]
Alemanha Oriental, 1953. Crédito: Arquivos Federais da Alemanha, via Wikimedia Commons

O casaco de chuva mais famoso de todos os tempos traz este histórico: chamado de trench coat - que significa literalmente “casaco para as trincheiras” - foi criado especialmente como uniforme para o exército britânico durante a Primeira Guerra Mundial, pelo estilista Thomas Burberry.

Anos antes, em 1879, ele já havia inventado um tecido resistente à água, o famoso gabardine, e com essa fazenda leve mudou completamente o padrão antigo das capas de chuva pesadas, usadas por seus conterrâneos em Londres.

O casaco proposto por Burberry era simples e prático, e fez sucesso rapidamente, sofrendo uma ou outra alteração com o passar do tempo.

Nos fronts de guerra

Até que no ano de 1914, ele atualiza a sua criação para vestir os militares ingleses nos fronts de guerra, adicionando bolsos, fechamentos e abas que não só protegiam do mau tempo, mas serviam também como compartimentos estratégicos para projéteis e cartuchos.

Além de funcional, o trench coat exalava um ar elegante, e foram estas características que fizeram da peça um item fundamental no guarda-roupa dos britânicos no pós-guerra – que se estendeu até os dias de hoje.

Thomas Burberry deixou um legado cultuado globalmente e sua marca continua a emanar refinamento e distinção.

O atual diretor criativo da grife Burberry, o italiano Ricardo Tisci, mantém o conceito sem deixar de eventualmente propor coleções que abarcam novas expressões e a moda inclusiva, como a estampa com cores do arco-íris “Rainbow Vintage Check”, em prol da diversidade LGBTQIA+, de 2018.

Divulgação/Instagram

 

Ganhando o mundo

Atualmente produzido por inúmeras confecções e tecidos dos mais diversos, como algodão, sarja, couro, lã, veludo e outros, o trench coat ganhou o mundo.

Tradição e modernidade juntas. Talvez seja esta a fórmula de uma peça de roupa que, mesmo centenária, se mantém no topo das escolhas mais descoladas do planeta para os dias de frio e chuva.

Neste podcast bônus sobre a moda lançada durante a Primeira Guerra Mundial, eu conto mais sobre a história do trench coat.

Confira abaixo!