Moda com História » Marilyn Monroe

Marilyn Monroe foi agredida após icônica cena do vestido branco, mostra documentário

Novo documentário da Netflix revela que na mesma noite em que brilhou na frente da câmera, Monroe encontrou um marido 'irritado'

Redação Publicado em 30/04/2022, às 09h00 - Atualizado em 05/05/2022, às 08h48

Um dos raros registros perdidos em fita revelada no ano de 2017
Um dos raros registros perdidos em fita revelada no ano de 2017 - Jules Schulback

Com o cabelo loiro marcante, um vestido esvoaçante e um sorriso provocativo, o filme 'O Pecado Mora ao Lado', lançado em 1955, marcou a imagem que muitos ainda têm na cabeça ao escutar o nome Marilyn Monroe. 

No filme dirigido por Billy Wilder, a jovem Monroeinterpreta uma vizinha sexy. Ao decorrer da trama, ela topa um encontro com o personagem Richard Sherman, vivido pelo ator Tom Ewell. Entre risos e flertes, a dupla sai de um cinema. É neste momento que a loira mais famosa de Hollywood eterniza a cena: ela para em cima de uma saída de ar do metrô, que acaba por levantar seu vestido. 

Por trás das câmeras, uma multidão apaixonada por Monroeacompanhava a cena. A atriz, que entregava sorrisos e espontaneidade no meio de tantas pessoas, demonstrava segurança no momento, no entanto, o cenário era outro quando as luzes se apagaram. 

Monroe em 'O Pecado Mora ao Lado' /Crédito: Divulgação/Vídeo/Youtube

Essa é uma das histórias relembradas no documentário 'O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas', lançada pela plataforma de streaming Netflix na última semana.

A produção conta com relatos de pessoas próximas ao ícone de Hollywood e gravações inéditas para entender o que aconteceu com a atriz na fatídica noite de em 4 agosto de 1962, há 60 anos, que marcou a sua morte. 

Quem revela esse material inédito é Anthony Summers, jornalista investigativo irlandês responsável pela obra 'Goddess: The Secret Lives of Marilyn Monroe', publicada em 1985. 

Relatos inéditos

Uma das gravações reveladas no documentário relembra um turbulento episódio ocorrido após a gravação de Monroe com o vestido branco. Quem acompanhava a atriz no momento dos registros era o seu ex-marido, o ciumento Joe DiMaggio, famoso jogador de beisebol norte-americano. 

Como explica o jornalista na produção "Joe não deu conta de ser casado com a pin-up do país". Um dos episódios que comprovam a visão de Summers são duas fitas a respeito do episódio em questão. A primeira exibida apresenta o relato de Billy Wilder, diretor de 'O Pecado Mora ao Lado'. 

Crédito: Divulgação/Vídeo/Youtube

"Estávamos filmando 'O Pecado Mora ao Lado'. Você se lembra da cena famosa? Se lembra do vento levantando a saia dela? Estávamos com tudo preparado para filmar a cena. Havia 5 mil, e por fim, 10 mil pessoas lá. Estavam olhando a calcinha de Marilyn. E pessoas gritavam das laterais, outras corriam atrás de autógrafos", relembrou o diretor. 

"Joe DiMaggio estava assistindo e não gostou muito de ver a sua esposa dando aquele show", disse ele. 

Marido 'irritado'

Outra pessoa que relembrou o momento foi a cabelereira que cuidou dos cachos da atriz durante as gravações do longa, Gladys Whitten. Ela revelou a fúria de Joe após a euforia gerada pela gravação. "O Joe ficou muito irritado", disse ela. 

Em seguida, Gladys descreve o que aconteceu após o casal voltar para o hotel: a atriz foi agredida pelo então marido e chegou a pedir socorro. 

Eles estavam em uma suíte de um hotel antigo muito lindo. E ele... deu uns tapas nela. Ela disse que gritou e chamou por nós. Mas não dava para ouvir através das paredes grossas", relembrou ela. 

Em seguida, Anthony questiona se a atriz 'apareceu machucada, com o olho roxo'. Gladys, então, responde que 'foi mais nos ombros dela (Marilyn). Mas, com um pouco de maquiagem, ela continuou trabalhando". 

O documentário também apresenta um melancólico relato da atriz a respeito do casamento, que acabou em divórcio menos de nove meses depois.

"Nosso casamento não foi feliz e acabou em nove meses. Infelizmente. Não sei mais o que dizer", relembra a gravação, que exibe a voz abalada da atriz. 

O outro vestido de Monroe

Em 1962, Monroe chamou atenção e causou polêmica ao cantar parabéns para o presidente Kennedy ao usar um exuberante vestido colado.

Essa história, que chamou atenção após a aparição de Kim Kardashian no Met Gala 2022, é relembrada no podcast 'Moda com História', com narração e roteiro de Laura Wie. 

Confira o episódio abaixo!