Matérias » Personagem

10 fatos sobre o guerrilheiro argentino Che Guevara

Da sua participação em revoluções ao destino final de suas mãos, saiba mais sobre o revolucionário marxista

Isabela Barreiros Publicado em 29/09/2019, às 08h00

None
- Reprodução

Conhecido por sua participação na Revolução Cubana, Ernesto Guevara, mais conhecido como “Che”, foi médico, diplomata, estrategista militar e filósofo político. O revolucionário foi introduzido às teorias de esquerda ainda quando jovem — seus pais e a biblioteca de sua casa ajudaram na formação da sua consciência política radical.

Mas, em 1952, junto de Alberto Granado, ele fez a viagem que completou todo seu pensamento marxista. Ao dirigir sua moto e andar por toda a América do Sul, desde a Argentina até a Venezuela, ele notou toda a pobreza gerada por países imperialistas e capitalistas e decidiu juntar-se à Revolução Cubana — e outras.

Confira 10 fatos sobre o guerrilheiro.

1.Ele participou de três revoluções armadas

Mesmo que seja famoso por seu papel na Revolução Cubana, Che ainda participou de mais duas revoluções armadas, na América do Sul e na África. Em meados dos anos 1960, Guevara ajudou a organizar guerrilhas na Bolívia e no Congo.

O guerrilheiro Che preso pelas tropas bolivianas em 1967 / Crédito: Reprodução

 

2. Um amante da poesia

Educado em casa por conta de sua asma, o garoto foi apresentado à poesia muito novo, e essa foi uma paixão que perdurou por toda sua vida. Quando foi assassinado, ele carregava um caderno no qual havia escrito a mão poemas dos sulamericanos Pablo Neruda, Cesar Vallejo e Nicolás Guillén.

3. Seu apelido é uma interjeição

"Guevara", na verdade, era uma interjeição argentina frequentemente usada por ele. É uma marca de fala que quer dizer “companheiro”, “amigo”. Caso fosse canadense, o apelido poderia ter sido “eh”.

4. Estudou medicina

Che estudou medicina na Universidade de Buenos Aires entre 1948 e 1953, inspirado por sua luta contra a asma. Quando se formou, fez um estágio no Hospital Geral da Cidade do México onde pesquisava alergias. Mas, em 1955, ele partiu para se juntar à Revolução Cubana de Fidel e Raul Castro.

O jovem Che / Crédito: Reprodução

 

5. As viagens de Che

Enquanto ainda estudava medicina, Guevara embarcou em duas viagens pela América do Sul. Em 1950, foi sozinho, mas em 1952, junto de seu amigo Alberto Granado, percorreu uma distância de aproximadamente 13 mil quilômetros de motocicleta e a pé. Durante esses momentos, ele percebeu com clareza a exploração dos trabalhadores e a intensa pobreza do continente. O relato da segunda viagem, “The The Motorcycle Diaries”, tornou-se um best-seller pelo The New York Times e foi transformado em filme no ano de 2004.

6. Apaixonado por rugby

Mesmo tendo asma, Che amava jogar rugby. “Eu amo rugby. Mesmo que isso me mate um dia, fico feliz em jogar”, explicou. Como seus pais eram membros do clube de rugby de San Isidro, ele jogou muito em sua juventude. Chegou até a publicar sua própria revista dedicada ao esporte, a “Tackle”.

7. Ele era parte irlandês

"A primeira coisa a se notar é que nas veias de meu filho corria o sangue dos rebeldes irlandeses", como dizia o pai de Che. Seu tataravô foi Patrick Lynch, um irlandês que imigrou para a Argentina nos anos 1700. Em 2017, o serviço postal da Irlanda, An Post, fez um selo comemorativo com a icônica imagem de Che.

8. Antecedentes da Revolução Cubana

Em 1953, Che mudou-se para a Guatemala porque aprovou a maneira com que Jacobo Arbenz Guzmán, o presidente do país, redistribuiu terra aos camponeses. A ação, no entanto, irritou a elite e a empresa estadunidense United Fruit Company. Um golpe coordenado pelos Estados Unidos fez com que Arbenz fosse retirado do poder e Castillo Armas, de direita, colocado em seu lugar. Essa foi a primeira vez que ele fez parte de atividades revolucionárias.

9. Chefe do Banco Nacional de Cuba

Depois da revolução, Guevara passou a receber importantes posições relacionadas às finanças e economia do país. Assim, no ano de 1959, ele foi nomeado para o cargo de presidente do Banco Nacional de Cuba. Suas ações estavam voltadas principalmente para tentar diminuir a dependência das exportações do país em relação aos Estados Unidos, principalmente.

10. Seus restos não foram encontrados até o ano de 1997

As mãos de Che Guevara / Crédito: Reprodução

 

Em 1967, quando fazia parte de guerrilhas revolucionárias na Bolívia, Che foi capturado por tropas do país auxiliadas pela CIA. Ele foi executado e suas mãos cortadas para que os militares pudessem confirmar sua morte aos estadunidenses. Além disso, eles deixaram seu corpo em uma vala comum junto de outras pessoas. Anos após o episódio, especialistas associaram o cadáver sem mãos e com tabaco em seu bolso à Che Guevara.