Matérias » Personagem

102 anos de Eric Hobsbawm

No dia 9 de junho de 1917, nascia um dos historiadores mais aclamados do mundo. Conheça a sua trajetória

Joseane Pereira Publicado em 09/06/2019, às 13h00

Eric Hobsbawm
Eric Hobsbawm - Reprodução

No dia 9 de junho de 1917 nascia Eric Hobsbawn, um dos historiadores mais importantes do mundo. Marxista convicto de família judaica, Hobsbawn escreveu obras, que sintetizam períodos históricos muitas vezes complexos, inspirando gerações de estudantes e entusiastas do conhecimento histórico.

Nascido no Egito, Hobsbawm passou a infância em Viena e Berlim. Após a morte de seus pais e ascendência ao poder de Adolf Hitler, ele mudou-se com seu tio para a Inglaterra, evento que influenciou sua formação intelectual posterior.

A atitude de seu tio apresentou a evidência de que análises históricas bem formuladas poderiam modificar realidades ao indicar tendências futuras, como a necessidade de fuga dos judeus na ascensão do Nazismo. Ele mesmo fez algumas predições em seus livros, como a dificuldade de Israel em se manter no Oriente Médio se tivesse apenas o apoio das forças militares.

Ingresso no Partido Comunista

Aos 19 anos, em 1936, Hobsbawm ingressou no Partido Comunista da Grã-Bretanha, no qual permaneceu até seu falecimento, em 2012. Nos anos 1960, integrou um grupo de historiadores marxistas britânicos, com Christopher Hill e Edward Palmer Thompson, todos desiludidos com o estalinismo e o Partido Comunista.

O grupo buscava entender a história das organizações de classe populares, suas lutas e ideologias, através da chamada História Social. Entretanto, ao contrário dos outros membros do grupo, que eram contra o Partido Comunista desde 1956 (após a invasão soviética da Hungria), Hobsbawm continuou sendo membro do partido até o colapso da União Soviética

"Eu não queria romper com a tradição que era a minha vida e com o que eu pensava quando me envolvi com ela. Ainda acho que era uma grande causa, a causa da emancipação da humanidade. Talvez nós tenhamos ido pelo caminho errado, talvez tenhamos montado o cavalo errado, mas você tem de permanecer na corrida, caso contrário, a vida não vale a pena ser vivida”, afirmou ele posteriormente ao New York Times.

Em 2003, Hobsbawm recebeu o Prêmio Balzan pela História Europeia, "pela sua brilhante análise da conturbada história da Europa do século XX e pela sua capacidade de combinar investigação histórica aprofundada com grande talento literário".

Entre as obras mais famosas estão A Era das Revoluções (1789-1848), A Era do Capital (1848-1875) e A Era dos Impérios (1875-1914). Ele também foi responsável por análises aprofundadas sobre o que chama de O breve século 20 em seu livro Era dos Extremos, que se tornou uma das obras mais lidas e indicadas sobre a história recente da humanidade. O autor faleceu em 2012, aos 95 anos.