Matérias » Personagens

Confira 15 frases “históricas” que, na realidade, nunca foram ditas

De Nicolau Maquiavel até Karl Marx e Maria Antonieta, diversas personalidades já tiveram suas ideias parafraseadas com o tempo

Thiago Lincolins e Letícia Yazbek Publicado em 19/09/2021, às 08h00

Maria Antonieta tocando harpa na corte francesa, de Jean-Baptiste Gautier Dagoty
Maria Antonieta tocando harpa na corte francesa, de Jean-Baptiste Gautier Dagoty - Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

Existem frases que, muito além de marcarem a história, ainda tornaram-se grandes marcos, sendo citadas por todo o mundo ao longo de gerações. Mas também existem aquelas afirmações que, na realidade, sequer foram ditas por quem imaginamos. 

Algumas delas são meros boatos. Outras, surgiram através de “resumos” feitos por biógrafos, às vezes traindo o sentido original. Também há aquelas ditas ou escritas por uma pessoa, mas que acabaram creditadas a outra. E há, por fim, as fake news históricas, pura propaganda. Estas são as mais célebres frases que todo mundo ouviu ou repetiu e que nunca foram proferidas pelas pessoas às quais são atribuídas. 

1. “A definição de insanidade é fazer a mesma coisa repetidamente e esperar um resultado diferente" — Albert Einstein

Fotografia de Albert Einstein / Crédito: Divulgação/ Pixabay/ ParentRap

 

Não há nenhuma evidência de que Einstein tenha dito essas palavras. O mais provável é que a frase tenha sido retirada de textos utilizados pelos Narcóticos Anônimos, produzidos em 1981.


2. “Discordo do que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo” — Voltaire

Pintura de Voltaire / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Voltaire não é o verdadeiro autor da sentença acima, mas sim a escritora inglesa Beatrice Evelyn Hall, sob o pseudônimo SG Tallentyre. Em 1906, ela publicou uma biografia sobre o filósofo em que descreve a relação de Voltaire com o filósofo francês Claude Adrien Helvétius. Como o parágrafo foi escrito em primeira pessoa, o mundo passou a creditar a frase a Voltaire.


3. “Os fins justificam os meios” — Nicolau Maquiavel 

Pintura de Nicolau Maquiavel / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

O axioma acima não é encontrado em nenhum capítulo da obra 'O Príncipe'. O que Maquiavel realmente escreveu foi um bem menos malicioso: “É preciso considerar o resultado final”.


4. “Primeiro eles te ignoram. Então riem de você e te atacam. Então você ganha” — Mahatma Gandhi

Fotografia de Mahatma Gandhi / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Essa máxima, que hoje repercute em vários sites, nunca foi dita por Gandhi. O verdadeiro autor nunca foi descoberto. No entanto, o sentido da frase é semelhante às palavras presentes em um discurso realizado em 1918 por Nicholas Klein, um advogado e defensor do sindicato dos trabalhadores dos EUA: "Primeiro eles te ignoram. Então eles te ridicularizam. E então eles te atacam e querem te queimar. E então eles constroem monumentos para você".


5. “Às vezes um charuto é apenas um charuto” — Sigmund Freud  

Registro de Freud / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

A frase foi supostamente dita após alguém sugerir, numa interpretação caricaturalmente freudiana, que seu charuto era um símbolo fálico. O sentido é que nem tudo devia ser lido por uma interpretação freudiana — ou, ao menos, não seu charuto. Entretanto, não existem provas de que em algum momento da História o fundador da psicanálise teria dito tal frase.


6. “Esqueçam tudo o que escrevi” — Fernando Henrique Cardoso

Registro de FHC / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Teria sido proferido por Fernando Henrique Cardoso durante um almoço particular com empresários, sempre foi negada pelo então ex-ministro da Fazenda. Ela foi divulgada numa reportagem publicada pela Folha de S.Paulo em 1993. Ao questionar o empresário Olacyr de Moraes, que participou do almoço, o veículo foi informado que Fernando Henrique pronunciou a frase de fato. No entanto, ao ser procurado novamente, em 1996, Moraes afirmou que não se lembra da frase e muito menos do almoço.


7. “A religião é o ópio do povo” — Karl Marx

Clássica fotografia de Marx / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

É um resumo que trai completamente o sentido original. O que Marx diz na obra 'Uma Contribuição para a Crítica da Filosofia do Direito de Hegel', de 1843, publicada somente após a morte do filósofo, é: "A religião é o suspiro da criatura oprimida, o coração de um mundo sem coração, e a alma de condições desalmadas. É o ópio do povo".


8. “Uma única morte é uma tragédia, um milhão de mortes é uma estatística” — Joseph Stalin

fotografia colorizada do líder soviético Josef Stalin / Crédito: Divulgação/Klimbim

 

Esse seria o resumo da filosofia Stalin. Mas muitos dos historiadores russos procuraram e nunca encontraram registros que comprovem sua autoria. A frase já foi creditada a vários escritores, um deles seria o alemão Kurt Tucholsky, que numa obra de 1932 descreve um personagem fictício que fala sobre as tragédias causadas pela guerra.


9. “Mulheres bem-comportadas raramente fazem história” — Marilyn Monroe

Retrato de Marilyn Monroe / Crédito: Getty Images

 

O ícone dos anos 50 foi responsável por muitos momentos notórios da história do cinema, mas não por esses dizeres. Ela já havia falecido quando a frase foi escrita pela americana Laurel Thatcher, num artigo publicado em 1976.


10. “Houston, temos um problema” — Jack Swigert

Fotografia do astronauta Jack Swigert / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

As palavras acima foram pronunciadas quando os astronautas da Apollo 13 notaram que uma explosão havia danificado a nave. Contudo, a frase verdadeira do astronauta Jack Swigert foi um bem mais calmo "Houston, nós tivemos um problema aqui". A citação, que repercute até hoje, é na verdade uma adaptação feita por Ron Howard no filme 'Apollo 13', de 1995.  

Além disso, as palavras não são de Jim Lovell, comandante da Apollo 13, e sim do astronauta Jack Swigert. Após um erro de transmissão, Lovell teve que repetir a frase e acabou roubando os créditos de Swigert.


11. “Os ingleses estão vindo! Os ingleses estão vindo!” — Paul Revere

Pintura de Paul Revere / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Revere nunca avisou os cidadãos de Concord, nos EUA, sobre o avanço das tropas britânicas. Na verdade ele foi capturado antes que pudesse fazê-lo. O verdadeiro responsável pela frase foi Samuel Prescott, outro patriota que também foi capturado, mas conseguiu escapar. No entanto, a fama de Revere foi imortalizada pelo poema 'Paul Revere's Ride', 1860, criado por Henry Wadsworth Longfellow.


12. “Se eles não têm pão, que comam brioches!” — Maria Antonieta

Pintura de Maria Antonieta / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

A rainha guilhotinada nunca chegou nem perto de dizer algo assim. Quem a conhecia afirmou estar preocupada com a situação do povo. A citação foi retirada das Confissões de Jean-Jacques Rousseau, um dos grandes inspiradores da a Revolução Francesa, morto em 1778, 11 anos antes do começo do movimento. No livro, Rousseau menciona que uma princesa, da qual não diz o nome, teria dito essas palavras ao ver o povo faminto.


13. “Temo que tudo o que fizemos foi despertar um gigante adormecido” — Isoroku Yamamoto

Fotografia de Isoroku Yamamoto / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Há indícios de que Yamamoto realmente se arrependeu de planejar o ataque à base naval norte-americana de Pearl Harbor, em 1941, mas não qualquer indício de que tenha dito a frase acima. Os japoneses escolheram atacar os Estados Unidos porque parecia um alvo mais fácil que a União Soviético. A frase apareceu no filme 'Tora! Tora! Tora!', de 1970, mas alguns acreditam que tais palavras já eram famosas antes mesmo de chegarem ao cinema.

14. “Fi-lo porque qui-lo” — Jânio Quadros 

Fotografia de Jânio Quadros / Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

A citação é na verdade o título de uma resenha publicada na revista Veja sobre o livro 15 Contos, de Jânio Quadros, satirizando seu estilo rebuscado. Além disso, a estrutura da frase é incorreta. Como a conjunção atrai o pronome, a maneira correta deveria ser "Fi-lo porque o quis".

15. “Até tu, Bruto?”— Júlio César 

Pintura "A morte de César", de Vincenzo Camuccini / Crédito: Crédito: Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

A frase teria sido dita por Júlio César quando viu Marco Júnio Bruto, um amigo próximo, no meio dos responsáveis pelo seu assassinato. A sentença original seria Kai su, têknon, algo como "Você também, menino/moleque?". Em grego, não Latim; o grego era considerado mais nobre e erudito.

Ela aparece assim na obra 'A Vida dos Doze Césares', escrita por Caio Suetônio, 165 anos após o assassinato do ditador. Suetônio não acredita que César tenha dito qualquer coisa, mas diz que algumas pessoas creditavam a ele essas palavras finais. A versão em latim, Et tu, Brute, é uma criação de William Shakespeare, em Júlio César, de 1599.


+Saiba mais sobre civilizações antigas por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

As Primeiras Civilizações: da Idade da Pedra aos Povos Semitas, de Pierre Lévêque (2009) - https://amzn.to/3cdUHah

As primeiras civilizações, de Jaime Pinsky (2001) - https://amzn.to/2WB5fJP

Uma Antiga Civilização Africana, de Selma Pantoja (2011) - https://amzn.to/3fsP7Tj

Uma breve história da arqueologia, de Brian Fagan (2019) - https://amzn.to/3ccB9mE

O grande livro dos mistérios antigos, de Peter James e Nick Thorpe (2019) - https://amzn.to/35RIZ2N

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W