Matérias » Arqueologia

227 crianças sacrificadas há mais de 500 anos: relembre a descoberta de 2019

Os restos mortais foram encontrados no Peru, na região litorânea de Huanchaco

Giovanna Gomes, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 24/04/2021, às 08h00

A descoberta se deu no litoral do Peru
A descoberta se deu no litoral do Peru - Divulgação

No ano de 2019, o mundo da arqueologia foi surpreendido pelo que os especialistas consideraram a descoberta do maior sacrifício em massa de crianças da história.

O caso se deu no Peru, em Huanchaco, localizada a 570 km ao norte da capital Lima, uma região riquíssima em material histórico e que desperta a curiosidade de historiadores e demais profissionais apaixonados pelo passado

A descoberta

De acordo com uma matéria da BBC Internacional, foram encontrados, ao todo, os restos mortais de 227 crianças, todas com idade entre 5 e 14 anos.

Conforme disseram os arqueólogos à AFP, alguns dos esqueletos, mesmo com a passagem dos séculos, ainda possuíam cabelo quando foram encontrados pela equipe.

Foram encontrados 227 corpos de crianças - Crédito: Divulgação/Youtube

 

Não se sabe ao certo o ano em que as crianças morreram. Entretanto, os arqueólogos acreditam que elas tenham sido oferecidas em sacrifício há mais de 500 anos.

Crianças sacrificadas

Ao que tudo indica, o sacrifício em massa de crianças era uma prática comum, sendo que um ano antes, em 2018, arqueólogos encontraram os corpos de cerca de 200 crianças em outros lugares do país latino-americano.

As crianças foram executadas há cerca de 500 anos - Crédito: Divulgação/Youtube

 

Segundo explicou uma nota publicada na National Geographic, os restos mortais apresentam indícios de que as execuções tenham ocorrido em uma época de clima úmido.

O fato de terem sido enterrados de frente para o mar seria, de acordo com os especialistas, uma forma que a cultura Chimú encontrou para 'acalmar' os deuses.

"Os restos das crianças estão de frente para o mar. Alguns têm protetores de pele, cabelo e prata. A maioria está na posição de decúbito dorsal, isto é, deitada. O interessante é que eles têm marcas de corte externas, cortes muito finos", disse o arqueólogo-chefe Feren Castillo.

"Encontramos no ano passado a faca com a qual eles fizeram esses sacrifícios, e o que suspeitamos é que a pessoa que executou deve ter tido muita experiência porque os cortes feitos nas crianças no esterno são muito bem feitos", finalizou.

Os sacrifícios eram realizados para acalmar os deuses - Crédito: Divulgação

 

A civilização Chimú

Os Chimús eram um dos povos mais poderosos da região do Peru e habitavam o litoral norte do país. Eles chegaram ao auge de sua influência entre os anos 1200 e 1400, até que foram dominados pelos incas, os quais mais tarde, acabaram por ser colonizados pelos conquistadores espanhóis.

A civilização Chimú, ao contrário dos incas, não tinham o Sol como deus mais forte. Em vez disso, adoravam Shi, o deus da Lua, sendo que, com frequência, os devotos realizavam inúmeras oferendas e sacrifícios em rituais dedicados ao deus.


+ Saiba mais sobre as civilizações andinas através de grandes obras disponíveis na Amazon:
 
Sacrifice, Violence, and Ideology Among the Moche: The Rise of Social Complexity in Ancient Peru (The William & Bettye Nowlin Series in Art, History, and ... of the Western Hemisphere) (Edição em inglês), Steve Bourget, 2016 - https://amzn.to/2rJ0Hp5
 
Breve História dos Incas,  Patricia Temoche Cortez, https://amzn.to/2KkB7wV
 
A civilização Inca, Henri Favre, 1987 - https://amzn.to/2NNGR4F
 
Breve História dos Incas, Patricia Temoche Cortez, 2016 - https://amzn.to/33KHzox
 

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du