Matérias » Índia

25 anos de procura: Saroo, o garoto perdido que encontrou sua família pelo Google Earth

Depois de uma confusão ocorrida numa estação de trem, que resultou em tragédias, o indiano se perdeu e acabou parando na Austrália

André Nogueira Publicado em 22/04/2020, às 13h42

Sarro no filme Lion - Uma Jornada para Casa
Sarro no filme Lion - Uma Jornada para Casa - Divulgação/Weinstein Company

Saroo Brierley, hoje um empresário na Austrália, foi um jovem menino indiano que ficou famoso ao encontrar, anos depois de se perder, sua família através do Google Earth. Tudo começou em sua infância, quando o pai da família os abandonou na pobreza enquanto sua mãe trabalhava na construção civil para o sustento das crianças. A vida de miséria levou à situação que fez com que Saroo se perdesse.

Sem dinheiro para comida ou escola, os jovens Sarro e Guddu, irmão mais velho, pediam alimentos e esmolas em estações ferroviárias de Khandwa, na Índia, e muitas vezes o irmão ganhava varrendo o chão dos trens. Em uma noite, Guddu falou que iria pegar um trem para Burhanpur, para trabalhar. Seu irmão mais novo pediu para acompanhá-lo e, relutante, o primogênito aceitou. No entanto, devido à viagem longa, Sarro dormiu num banco na estação final.

Então, Guddu pediu a Saroo que o esperasse lá. No entanto, o irmão não retornou e o garoto, impaciente, decidiu tomar o outro trem, em busca de Guddu, mas novamente caiu no sono, acordando apenas quando o veículo em que estava passando por uma região que não conhecia. Como havia apenas uma porta no vagão, que estava trancada, Saroo não conseguiu sair nas estações seguintes.

Como consequência, o jovem conseguiu fugir apenas na estação final, em Howrah, atual Calcutá. Sem saber disso, ele estava a mais de 1.500 km de casa e do local onde seu irmão fora morto após ser atropelado por um trem. Tentando tomar novamente trens para voltar, Saroo deu diversas voltas nas linhas locais, não conseguindo sair de lá. O garoto só sobreviveu por conseguir catar restos de comida nas vias, até que fosse refugiado por um agente da ferrovia, que o abrigou.

Capa do filme inspirado nessa história / Crédito: Wikimedia Commons

 

O homem que o estava alimentando começou a mostrar-lhe para um amigo, o que levantou a suspeita de Saroo. Então, o jovem fugiu, com medo, e foi perseguido pelos adultos. Escapando, ele conheceu um adolescente que o levou a uma delegacia, suspeitando que tivesse sido perdido.

De lá, foi encaminhado para um centro do governo para crianças abandonadas e, depois, para a Sociedade Indiana de Patrocínio e Adoção. Como Saroo não tinha informações suficientes sobre sua família, foi impossível localizá-la.

Assim, ele foi adotado por uma família australiana. Ao mesmo tempo, sua mãe Kamla o procurava incessantemente, descobrindo pela polícia que Guddu fora morto na ferrovia. Na Austrália, o menino foi criado pela nova família, aprendendo o inglês. Depois de anos, em meio aos tempos de estudo, ele começou a vasculhar as imagens do Google Earth, seguindo as linhas ferroviárias a partir de Calcutá, cruzando com memórias que tinha das estações de Burhanpur e Khandwa.

Em uma noite de pesquisas em 2011, Saroo se deparou com a imagem de uma estação que lhe gerou leves recordações da infância, de quando estava preso no trem. Quando foi checar, tratava-se de Burhanpur, que se aproximava do nome que estava perdido na sua memória.

Seguindo os trilhos para o norte, ele encontrou Khandwa, que, mesmo tendo um nome que não lembrava, era marcada por características que recordava. Ele reconheceu a fonte perto dos trilhos, onde costumava tocar em troca de esmolas.

Então, a partir do mapa das ruas da cidade, tentou reconstituir o caminho que fazia para localizar o local onde sua família morava. Parecendo certa a intuição de ter encontrado, ele entrou em contato com um grupo do Facebook de pessoas de Khandwa, o que confirmou sua suspeita.

Famoso livro de Saroo / Crédito: Wikimedia Commons

 

Em 2012, ele viajou para a cidade na Índia, procurando informações nas ruas sobre uma família que perdera o filho há 25 anos. Mostrando fotografias de si mesmo quando criança, conseguiu alguém que o levou até sua mãe, por conhecer a história. Emocionados, mãe e filho se reencontraram, junto à irmã Shekila e o irmão Kellu. O encontro foi veiculado em diversas mídias, que reproduziu o caso para o mundo.

Saroo passou a viajar entre a Austrália e a Índia, para manter contato com a família, chegando a comprar uma casa para a mãe. O jovem escreveu um livro chamado A Long Way to Home ("Um Longo Caminho Para Casa, em tradução livre), que depois deu origem a um filme de mesmo nome, sobre a jornada do garoto abandonado.


+ Saiba mais sobre crianças perdidas pelas obras disponíveis na Amazon:

Uma longa jornada para casa, de Saroo Bierley (2017) - https://amzn.to/2XYhVgm

Madeleine: O desaparecimento de nossa filha e a incessante busca por ela, Kate Mccann (2011) - https://amzn.to/2O1cd7CO Que Aconteceu Com Annie, de C. J. Tudor (2019) - https://amzn.to/2tLz3Jy

25 Mistérios Que Nunca Foram Resolvidos (eBook) - https://amzn.to/2vrHeeo

Sem Pistas (um Mistério de Riley Paige – Livro 1) (eBook) - https://amzn.to/30YhnX7

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du