Matérias » Ucrânia

5 pontos para entender a crise entre Ucrânia e Rússia

Após meses de tensões, a crise militar se agrava na Europa. Professor de Geografia explica o pano de fundo do conflito

Redação Publicado em 02/03/2022, às 16h35

Protesto contra a invasão em Nova York, EUA
Protesto contra a invasão em Nova York, EUA - Getty Images

Desde 24 de fevereiro, todo o mundo observa a ação militar da Rússia em território ucraniano. A invasão já gerou diversas mortes de civis, destruição em cidades da Ucrânia e muita polêmica sobre as motivações do presidente russo Vladimir Putin.

A crise entre os dois países já dura alguns meses, com a ameaça de invasão e presença do exército russo na fronteira.

Explosão em torre de TV, em Kiev /Crédito: Divulgação/Vídeo/Youtube

O professor de Geografia do Colégio Marista Paranaense, Jair Henrique Iliano de Castro, listou alguns pontos essenciais para entender em que cenário geopolítico o conflito acontece neste momento. 

Conflito Rússia X Ucrânia  

1. Muita história

A questão envolve muita história. O leste europeu, onde se localiza a Ucrânia, fez parte ou foi área de influência da extinta URSS, que tinha como coração pulsante a temida Rússia.


2. Influência

Esse contexto histórico nos dá uma informação importante: a Ucrânia foi muito influenciada pela cultura da Rússia, logo, o leste ucraniano possui grande porcentagem da população que fala a língua russa.

Nessa região existem dois movimentos separatistas que ficaram bastante famosos, Donetsk e Lugansk, numa área que é conhecida como Donbass. Eles exigem independência e recebem apoio do governo russo.


3. O enigmático Vladimir Putin

'Dono” da Rússia desde 2000, e com possibilidade de governar até 2036, o presidente russo nunca escondeu que expansão territorial é algo que o agrada. E tem mais coisa nesse imbróglio: o território ucraniano é ponto de passagem da grande arma russa, o gás natural.

Vladimir Putin, presidente da Rússia /Crédito: Getty Images

Boa parte da Europa depende do gás natural russo para aquecimento no inverno, e a Ucrânia é ponto estratégico para a chegada desse gás no continente europeu. Logo, manter a Ucrânia por perto é geopoliticamente importante.


4. O papel dos EUA, Otan e União Europeia

O próximo passo é entendermos a influência ocidental nessa situação. Nos últimos anos, a Ucrânia vem sendo seduzida por alguns convites, como a aproximação com a União Europeia e a possível entrada na Otan. E por que isso desagrada Vladimir Putin? Na visão do líder russo, essa aproximação da Ucrânia com o ocidente coloca em risco a soberania russa.

Países que ingressam na Otan (aliança militar criada na guerra fria para defender os interesses ocidentais) acabam recebendo tropas e, muitas vezes, bases militares dessa aliança. Essa questão, para Vladimir Putin, é inaceitável.


5. E a guerra? 

Nessa queda de braço, ninguém está disposto a perder. A Ucrânia segue sua aproximação com o Ocidente e a Rússia faz os primeiros movimentos de invasão. Lembram de Donetsk e Lugansk? Pois então, Putin já reconheceu a independência desses lugares, ou seja, para o presidente russo essas regiões não são Ucrânia.


Sobre os Colégios Maristas:  os Colégios Maristas estão presentes no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação