Matérias » Europa

516 civis: As mortes confirmadas pela ONU na última quarta-feira, 9

O surpreendente número chama atenção sobre a violência na guerra entre a Rússia e a Ucrânia

Wallacy Ferrari Publicado em 10/03/2022, às 12h12

Brinquedo infantil deixado no chão após ataque russo em Kiev
Brinquedo infantil deixado no chão após ataque russo em Kiev - Getty Images

Na última quarta-feira, 9, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos divulgou um trágico dado sobre a guerra entre a Rússia e Ucrânia, estimando o número de vítimas fatais e não-fatais que não compõem nenhum dos lados militares do conflito.

De acordo com o órgão, ao menos 516 civis vieram a óbito durante os combates, sendo 76 destes crianças. O número de feridos pode aumentar o primeiro dado, visto que muitos permanecem em estado grave, mas atualmente é estimado em 908 civis.

A entidade ainda alertou que, em período de guerra, o número real provavelmente é maior, acrescentando em nota que, neste caso, onde há ataques em estruturas cujos escombros ainda não foram revirados, o número pode ser “muito maior”.

A maioria das baixas civis registradas foi causada pelo uso de armas explosivas com uma ampla área de impacto, incluindo artilharia pesada e sistemas de foguetes de lançamento múltiplo, mísseis e ataques aéreos", disse a ONU, como informou o portal UOL.

O balanço anterior do escritório de direitos humanos da ONU informava 474 civis mortos e 861 feridos. No novo registro, foi possível também localizar, geograficamente, os epicentros dos ataues mortais.

111 ficam apenas na região de Donetsk e Lugansk, já reconhecidas como parte de território da Rússia pelo próprio país chefiado por Vladimir Putin. As outras 405 estão mais próximas da capital ucraniana de Kiev, como nas cidades de Odessa, Kherson, Kharkiv, Zaporizhzhia, Sumy e Mikolaiv.