Matérias » Estados Unidos

Rumo a Marte: a impressionante saga do carro enviado ao espaço

Em 2018, o milionário Elon Musk decidiu fazer uma demonstração extravagante de seu novo foguete

Ingredi Brunato Publicado em 13/01/2021, às 09h51

Imagem de Starman (boneco no volante do carro) com Terra ao fundo
Imagem de Starman (boneco no volante do carro) com Terra ao fundo - Wikimedia Commons

O Tesla Roadster é um carro esportivo que funciona à base de eletricidade e foi produzido por uma das companhias de Elon Musk entre 2008 e 2012. Diferente de outros veículos de seu ramo, todavia, o Roadster foi o primeiro a ser enviado para o espaço, num episódio peculiar ocorrido em 2018. 

Tudo começou porque Musk, que hoje é mais conhecido por sua outra companhia, a SpaceX, que oferece serviço de transporte espacial, havia desenvolvido um novo produto, e queria divulgá-lo de forma chamativa. 

Tratava-se do Falcon Heavy, que é ainda hoje o foguete mais potente da História da humanidade. O ricaço decidiu então matar dois coelhos em uma tacada só, fazendo propaganda também de um dos carros que vendia na Tesla

Imagem do foguete Falcon Heavy / Crédito: Wikimedia Commons

 

Assim, a missão de teste do foguete acabou mandando para fora da Terra uma carga excêntrica: Ela incluiu não apenas o carro elétrico, mas também um boneco vestido de astronauta (apelidado de Starman, ou “Homem das Estrelas”, em tradução livre) posicionado ao volante, e diversos outros itens curiosos. 

O lançamento inédito foi transmitido ao vivo para o Youtube, atraindo a atenção de diversos internautas - e também possíveis futuros clientes. 

Curiosidades 

O sistema de som do Roadster foi programado para tocar infinitamente a música “Space Oddity”, do famoso cantor David Bowie. Inclusive, o próprio nome do boneco astronauta, “Starman”, é em homenagem a outra música do artista. 

Outros fragmentos da cultura humana presentes no veículo são um exemplar do clássico livro Mochileiro das Galáxias, e um disco óptico 5D contendo uma versão digital da trilogia Fundação. 

Imagem de Roadster e Starman com Terra desaparecendo ao fundo / Crédito:  Wikimedia Commons

 

Itinerário

Em outubro de 2020, o carro alcançou um marco importante em sua jornada espacial: após 2 anos e 8 meses de viagem, foi anunciado pelo Twitter da SpaceX que ele estava afinal aproximando-se da atmosfera de Marte, um dos planetas mais próximos da Terra, junto a Vênus. 

Segundo divulgado pelo Tecmundo, um estudo realizado por cientistas da Universidade de Toronto calculou que a viagem espacial - que não tem itinerário - pode durar cerca de 10 milhões de anos.

Outro detalhe não tão agradável é que, na verdade, o primeiro “carro espacial” da humanidade não tem muita proteção contra os raios ultravioletas do Sol. 

Assim, ao longo do tempo, o Roadster terá todos os seus circuitos elétricos fritos e sua cor vermelha vibrante apagada, virando uma simples lata-velha consumida por radiação - um processo que inclusive já deve estar avançado a esse ponto da viagem.

Seu destino é um tanto quanto trágico: uma colisão eventual com algum dos planetas do Sistema Solar. Entre as probabilidades, existe ainda uma chance de 6% do globo atingido ser o nosso.

Todavia, não é preciso se preocupar, uma vez que o carro voador e seu piloto seriam desintegrados pela nossa atmosfera, assim não causando quaisquer danos. 

Veja abaixo um vídeo do automóvel em órbita.