Matérias » Brasil

Dona Flor e seus dois Partidos? A verdade por trás da imagem de Regina Duarte ao lado de Fidel Castro

Em 1984, a atual Secretária da Cultura foi recebida pelo líder cubano e representante da esquerda. Hoje, ela se diz conservadora e passou a apoiar o governo Bolsonaro. Mas qual o fato por trás disso tudo?

Fabio Previdelli Publicado em 06/03/2020, às 13h40

Regina Duarte, Gabriela Duarte, Daniel Filho e Fidel Castro
Regina Duarte, Gabriela Duarte, Daniel Filho e Fidel Castro - Divulgação

Em entrevista ao Programa do Jô, em 2012, a atriz Regina Duarte, atual Secretária da Cultura, completava 50 anos de carreira e recebeu várias homenagens pela data. Entretanto, uma de suas grandes lembranças foi de um papel que ela recusou: a de protagonista do filme Dona Flor e seus Dois Maridos, de 1976.

Porém, agora, parece que o pesar acontece por algo que ela se propôs a fazer. Há pouco mais de 48 horas, a atriz enfim aceitou o cargo público e já chegou causando discórdias. Tudo porque ela afastou 6 nomes fortes da pasta. São eles: Paulo Cesar Brasil do Amaral, presidente do Ibram (Instituto Brasileiro de Museus); Reynaldo Campanatti Pereira, secretário da Economia Criativa; Rodrigo Maximiano Junqueira, secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural; Camilo Calandrelli, secretário de Fomento e Incentivo à Cultura; Marcos de Almeida Villaça Azevedo, secretário de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual e Dante Mantovani, presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes).

Em resultado da ação, a hashtag #foraRegina chegou aos trending topics do Twitter no mesmo dia. O ato respingou até em Olavo de Carvalho, o guru bolsonarista publicou em seu Facebook a seguinte mensagem: “Aplaudir a indicação da Regina Duarte parece ter sido uma cagada minha, mais uma entre tantas. Não sei onde vou arranjar tanto papel higiênico”.

Ao mesmo tempo, uma polêmica imagem (que estampa a capa dessa matéria) foi revivida pelas redes sociais. Nela, Regina aparecia sorridente ao lado do controverso líder cubano Fidel Castro — o que, segundo os internautas, comprovaria a ligação da atriz com o “comunismo”.

Mas qual a verdadeira história por trás da fotografia — na qual ainda estão a atriz Gabriela Duarte e o ator e diretor Daniel Filho?

O retrato foi tirado em 1984, período em que a atriz era protagonista da série Malu Mulher. Os direitos da produção foram vendidos ao país caribenho — que por sinal fez muito sucesso por lá naquele ano.

A grande audiência que a série tinha ocasionou o convite à atriz e também para Daniel Filho, que foi o responsável pela criação e direção do projeto (Daniel e Regina foram casados entre 1978 e 1979).

Nas terras de Fidel, ela foi homenageada pela associação cultural Casa de Las Américas. Recebida por uma multidão, que lotava o teatro Carlos Marx, ela se encontrou com o líder cubano — daí surgiu essa recordação.

Segundo matéria publicada pelo UOL, por conta da visita, Duarte chegou a ser monitorada pelo Serviço de Segurança Nacional, o SNI. O portal diz que documentos investigados do Arquivo Nacional detalham os passos da atual Secretária pelo país. Por lá, ela se encontrou com o poeta Nicolás Guillén e também "visitou centros de trabalho e diversas outras entidades, onde iniciava debates com as operárias cubanas”.

Segundo o texto, a atriz "considera Fidel Castro um dos maiores estadistas do mundo" e "defende o reatamento das relações entre o Brasil e aquele país”.