Matérias » Personagem

A vida infernal de Dante Alighieri, o maior poeta da língua italiana

A trajetória de um dos mais importantes escritores humanistas do renascimento literário

Fabio Previdelli Publicado em 21/10/2021, às 09h29

Obra retrata o poeta
Obra retrata o poeta - Wikimedia Commons, Domínio Público

Considerado o primeiro e maior poeta da língua italiana, Dante Alighieri nasceu entre 21 de maio e 20 de junho de 1265. Revolucionário por mudar os padrões da representação medieval da realidade, ele é tido pelo francês Victor Hugo como um dos autores que “marcam os cem graus de gênio”.

Nascido e criado em uma família abastada e influente em Florença, na Itália, Alighieri teve uma boa educação, estudando letras, ciência, artes e teologia. Numa época em que apenas escritores em latim eram valorizados, quebrou paradigmas ao redigir uma de suas maiores obras La Divina Commedia — que possui um intenso viés épico e teológico. 

Pintura que retrata Dante Alighieri/ Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

 

Um dos mais importantes escritores humanistas do renascimento literário faleceu em 14 de setembro de 1321, aos 56 anos, talvez por malária. Seu corpo foi sepultado na Igreja de San Pier Maggiore.

A trajetória de Alighieri é tema do novo episódio do podcast 'Desventuras na História’, o novo projeto do site Aventuras na História, que retrata a vida de diferentes nomes de diversos períodos que marcaram o mundo.

Com narração de Vítor Soares, professor de História e idealizador do podcast História em Meia Hora, que transmite o conteúdo de forma mais íntima, como se estivesse conversando. O primeiro episódio do projeto relembra a saga da rainha Maria Antonieta, que foi da realeza à guilhotina. 

Com tom descontraído, o podcast narrado por Soares segue a nova maneira de levar a História para o público. 

“Para mim esse projeto é ótimo”, explica o professor. “Minha expectativa principal é fazer com que as pessoas entendam que a história não precisa ser maçante, pode ser bem descontraída. E acredito que o site da Aventuras na História já tem essa pegada.”