Matérias » Nazismo

Abba Kovner, o prisioneiro judeu que identificou um brutal plano das tropas nazistas

Líder de um grupo de judeus que buscavam vingança, Kovner planejou matar seis milhões de alemães usando veneno

Redação Publicado em 04/12/2019, às 09h00

Abba Kovner durante o julgamento de Adolf Eichmann em Jerusalém, 1961
Abba Kovner durante o julgamento de Adolf Eichmann em Jerusalém, 1961 - Getty Images

No ano de 1941, nazistas infiltrados na Europa Oriental estabeleceram o Gueto de Vilna na atual Lituânia. Levando 40 mil judeus à floresta local, eles os obrigaram a cavar suas próprias covas e atiraram nos judeus a sangue frio. Sobre isso, o poeta, escritor e líder partidário hebreu Abba Kovner escreveria um manifesto no início do ano seguinte, sendo o primeiro alvo do Holocausto a identificar o plano nazista de massacre aos judeus.

O manifesto dizia: “Juventude judia! Não confiem naqueles que estão tentando enganar vocês. Hitler planeja destruir todos os judeus da Europa... não seremos levados como ovelhas ao matadouro! É verdade que somos fracos e indefesos, mas a única resposta ao assassino é a revolta! Irmãos! Melhor cair como combatentes livres do que viver pela misericórdia dos assassinos. Levanta-te! Levante-te com teu último suspiro! ”

OS VINGADORES

Abba Kovner em Vilna nos anos 40 / Crédito: Divulgação/Yad Va'Shem

 

Os guerrilheiros do Gueto de Vilna se organizaram prontamente em um grupo chamado FPO (Organização Partidária Unida, em inglês), e o grito de guerra "Não seremos levados como ovelhas ao matadouro” se espalhou por todos os cantos. Apelidado de Ha Nokmim, ou Os Vingadores, essa organização lutou contra os nazistas até o fim da Segunda Guerra Mundial.

Após o fim da guerra, Kovner e seus seguidores tiveram conhecimento de todas as ações executadas pelos nazistas. Diante do massacre de milhões de judeus, eles decidiram elaborar um plano de ação que o mundo nunca esqueceria: matar seis milhões de alemães por envenenamento.

Na primavera de 1946, o grupo conseguiu envenenar pães destinados a alimentar prisioneiros da SS em Nuremberg. Infiltrando-se na cozinha, eles jogaram arsênico sobre 3 mil pedaços do alimento. Não as sabe ao certo o resultado desse plano, e o número de alemães envenenados ou mortos é contestado.

Grupo de resistência judaica em Israel, 1969 / Crédito: Divulgação/Arquivo Avraham Sutzkever na Biblioteca Nacional de Israel

 

Embora o grande plano do grupo, de envenenar a água de um reservatório alemão, nunca tenha ocorrido, o grupo dos Vingadores teve papel crucial na história de resistência judaica durante o Holocausto. E Abba Kovner, que em 1970 venceu o Prêmio Israel de literatura, continuou a inspirar milhões de pessoas com seus escritos e declarações.


+ Saiba mais sobre esse tema através das obras abaixo

1. The Fall of a Sparrow: The Life and Times of Abba Kovner, Dina Porat - https://amzn.to/2Lm83Ws

2. O diário de Mary Berg: Memórias do gueto de Varsóvia, de Mary Berg - https://amzn.to/2LnId4n

3. O Holocausto: Uma nova história, de Laurence Rees - https://amzn.to/33PP791

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.