Matérias » Música

Acabou através de uma carta: o melancólico caso de Tupac e Madonna

"Para você, ser visto com um homem negro não comprometeria de maneira alguma sua carreira", explicou o rapper para a diva

Wallacy Ferrari Publicado em 29/10/2020, às 12h48

Juntos em evento da Vogue
Juntos em evento da Vogue - Divulgação/Twitter/ThaLunatic_/16.09.2019

Se por um lado Madonna foi um símbolo de moda e música que surgiu nos anos 1980, outro artista responsável por abranger pautas sobre política, comportamento, estilo em suas composições surgiu na década seguinte; Tupac Shakur, do contrário de Madonna, fazia questão de expressar a contracultura em relação ao mercado de entretenimento.

O rapper e a figura pop até poderiam ser distintos musicalmente, mas figuravam paradas americanas com músicas de protesto — além de estilos de vida bastantes cobertos pela imprensa. Com tais semelhanças, ambos acabaram sendo apresentados pela atriz Rosie Perez durante a premiação Soul Train Music Awards, em março de 1993.

Descrito como uma mistura de admiração e atração, Madonna falou ao programa de rádio de Howard Stern em 2015 que, nas semanas seguintes, fez o contato com o rapper, mas seu estilo de vida a deixava "irritada", relembrando a entrevista que deu a David Letterman em 1994: “Fiquei brava com [David Letterman] quando disse muito a palavra com a letra “f” [referindo-se a ‘fuck']. Eu estava saindo Tupac Shakur na época, e o que acontece é que ele me deixou toda irritada com a vida em geral”.

Tupac e Madonna saindo juntos de evento / Crédito: Divulgação/Twitter/ThaLunatic_/16.09.2019

 

Colocando a loira nas ruas

Na época, envolvido em esquemas de gangues, a frieza de Tupac foi inserida na vida da rainha do pop de maneira gradativa, como explicou o irmão do rapper, Mopreme, em entrevista à VladTV: “Não acho que foi algo muito sério, do tipo ‘vou me casar’ ou algo assim. [...] Os dois se respeitavam, então acabaram se dando bem, mas ele nunca falava merda sobre ela, não comigo”.

Um dos raros episódios relatados pelo casal foi contado também no programa de Howard Stern, mas por Snoop Dogg, amigo pessoal do cantor. Em 2019, ele revelou que participava do programa Saturday Night Live em Nova York, porém, não tinha encontrado maconha na cidade após a implantação da política de tolerância zero do prefeito Rudy Giuliani.

Sabendo disso, ligou para Tupac para que lhe trouxesse alguma erva para o camarim da emissora ou ao menos pedisse para alguém levar. Minutos depois, o rapper não apenas apareceu no prédio da NBC, como usou a companheira Madonna para entrar sem empecilhos. Ao chegar, a loira se sentou ao lado de Snoop: “Ela olhou para mim, eu olhei para ela, eu disse: ‘Oh, uau! Essa é Madonna!”, relatou Dogg.

Em 'Like An Icon', biografia não-autorizada de Madonna, a autora Lucy O'Brien acrescentou que a diva pop não apenas tinha interesse em estar engajada com o ascendente rapper, como também gostaria de ter um filho com ele — informação posteriormente negada pela amiga que uniu o casal, Rosie Perez.

Relacionamento interrompido

Mesmo com os frequentes encontros durante o ano de 1994, a polêmica acusação de abuso sexual de Tupac contra Ayanna Jackson foi a julgamento em 1994, resultando em uma sentença de 18 meses de prisão. O episódio não apenas afastou Madonna, que chegou a retirar a participação do rapper no disco ‘Bedtime Stories’, mas irritou o astro pela ausência de amparo da diva.

Trecho final da carta de Tupac para Madonna / Crédito: Gotta Have Rock and Roll / TMZ

 

Um detalhe muito curioso sobre o término do affair foi revelado em 2017, quando a casa de leilões Gotta Have Rock and Roll tornou pública, via TMZ, uma carta direcionada a loira e escrita por Tupac na prisão.

No texto, o cantor termina o relacionamento, principalmente, pela diferença na cor de pele, sendo comparado com outros rappers e jogadores de basquete.

"Eu não tenho sido o tipo de amigo que eu sei que sou capaz de ser. Para você, ser visto com um homem negro não comprometeria de maneira alguma sua carreira. Senti que devido à minha 'imagem', eu estaria decepcionando metade das pessoas que me faziam o que eu pensava ser. Eu nunca quis te machucar ", explica. "Por favor, entenda minha posição como a de um jovem com pouca experiência com um símbolo sexual extremamente famoso. Ofereço minha amizade mais uma vez, desta vez muito mais forte e focado. Se ainda estiver interessada, gostaria de discutir mais sobre isso com você , mas alguns [pontos] não puderam esperar".


+Saiba mais sobre Tupac e Madonna em grandes obras disponíveis na Amazon

Tupac Shakur: The Life and Times of an American Icon, por Tayannah Lee McQuillar e Fred L. Johnson (2010) - https://amzn.to/3jN8Wpz

Madonna - 60 anos, por Lucy O'Brien (2018) - https://amzn.to/3mucuzf

Tupac: The Modern Day Messiah, por Andrew Acampora (2018) - https://amzn.to/3oC4Jsj

Tributo a Madonna, por Elaine Freitas (2013) - https://amzn.to/2FGY0LE

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W