Matérias » Música

Afastamentos e reencontros: a relação de Maria Bethânia e Gal Costa

A amizade sempre gerou especulações e o distanciamento de pelo menos 15 anos contribuiu para a narrativa

Isabela Barreiros Publicado em 10/07/2020, às 19h31

Maria Bethânia e Gal Costa
Maria Bethânia e Gal Costa - Divulgação

As duas baianas Gal Gosta e Maria Bethânia estão entre os casos não afirmados, mas especulados por fãs. Mesmo que muito boato estivesse envolvido na amizade das cantoras, nenhuma das duas chegou a confirmar se isso era verdade ou não.

Ambas começaram suas carreiras quase simultaneamente. Entre a década de 1960, a tropicália passou a ser um dos maiores movimentos artísticos vigentes no Brasil. Bethânia e Gal estavam nesse contexto, e, mesmo que tivessem ritmos e estilos diferentes, sempre foram próximas.

Ainda com a união, por muito tempo tanto o público quanto a mídia alimentaram uma quase sem sentido rivalidade entre as duas.

Foi quando a série documental O nome dela é Gal estreou em 2017 que foi possível perceber com mais clareza o afastamento entre as duas, provavelmente após um término. O programa do canal a cabo HBO convidou Maria Bethânia para dar um depoimento sobre sua “amiga” de longa data. E foi aí que veio a surpresa.

“Há muito tempo que eu não vejo Gal, muitos e muitos anos. A última vez que falei com ela foi na morte de minha mãe, nem cheguei a falar, ela me mandou uma mensagem muito carinhosa, muito amorosa. E eu fiquei muito comovida. Fiquei feliz. Queria mesmo hoje, uma hora falar. Sinto falta, sinto muita falta”, disse Bethânia, comovida, no relato.

Ela ainda afirmou que ficou muito surpreendida quando foi convidada para falar sobre Gal, especialmente devido ao distanciamento de pelo menos 15 anos das duas.

“A gente sempre se falou, mas, durante um tempo, eu não falava com ela e ela não me procurava. Liguei quando Dona Canô estava hospitalizada. Nos momentos mais difíceis, estou presente. É a vida. Bethânia mora no Rio de Janeiro, eu em São Paulo. Desde o começo se fala em rivalidade, mas acho isso bobagem. Há amigos que são sagrados. Com Caetano também não falo sempre, como no passado, quando alugávamos casas juntos e éramos como uma família”, explicou Gal à revista Época em 2017.

O afastamento entre elas teria sido durante o encontro dos Doces Bárbaros, uma reunião e turnê entre Maria Bethânia, Gal Costa, Gilberto Gil e Caetano Veloso em 1976, que tinha como intuito comemorar os dez anos de carreira de cada um deles.

Segundo Bethânia, a última vez que elas haviam se falado foi na morte de Dona Canô, em 2012. Mas isso mudou quando, em 2018, elas gravaram uma nova música, chamada Minha mãe, do álbum A Pele do Futuro, da Gal Costa. Depois de 28 anos sem realizarem um dueto, elas cantaram juntas a canção.


+ Saiba mais sobre o tema por meio das obras a seguir:

Caderno de poesia, Maria Bethânia (2014) - https://amzn.to/2OQS8Ba

Semiótica, Éthos e Gêneros de Discurso nas Canções-Poemas de Maria Bethânia, Rafael Batista Andrade (2014) - https://amzn.to/37slLzh

Vozes do Brasil: entrevistas reunidas, Patricia Palumbro (2019) - https://amzn.to/325zN97

O sal é um dom: Receitas de dona Canô, Mabel Velloso (2015) - https://amzn.to/2HlapT0

Tropicália ou Panis et circencis, Pedro Duarte (2018) - https://amzn.to/31XhZfX

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.