Matérias » Personagem

Alcoolismo e traição: Vasily Dzhugashvili, o polêmico filho de Stalin

Após perder o pai e a mãe, Vasily teve a história marcada por melancolia e problemas

Penélope Coelho Publicado em 28/06/2020, às 07h00

Vasily quando jovem
Vasily quando jovem - Getty Images

Durante o período em que comandou a União Soviética, Stalin deixou marcas eternas na história do mundo, seja alterando os rumos da Segunda Guerra, ou, por milhares de pessoas que foram mortas durante seu governo totalitarista.

Em sua vida pessoal, alguns detalhes passam despercebidos, como por exemplo, como o ditador era em sua função de pai. De seus quatro filhos, uma figura de destaque foi Vasily Dzhugashvili, menino que dedicou à vida a carreira militar e que após a morte do tirano, teve um triste fim.

Quem foi Vasily

Nascido em 21 de março de 1921, filho de Joseph Stalin com sua segunda esposa, Nadezhda Alliluyeva. Desde o início, a vida de Vasily Iosifovich Stalin, se estabeleceu em um lar problemático.

A perda de sua mãe — que se matou quando ele tinha somente 11 anos de idade foi muito difícil para o menino. Inicialmente, ele foi criado pelo ditador, o homem era distante e não se importava muito com o filho.

Para não revelar que a mulher havia se suicidado, as crianças achavam que a mãe tinha morrido de peritonite — uma infamação na parede abdominal. O garoto só foi descobrir a verdade 10 anos depois.

A irmã de Vasily, Svetlana, havia reparado que seu irmão nunca se recuperou verdadeiramente da morte da mãe, segundo a menina, ele começou a beber aos 13 anos de idade e sofria de alguns episódios de fúria, em decorrência da embriaguez.

Além disso, Stalin já havia deixado de visitar os filhos há um tempo, por isso, eles estavam sob os cuidados de uma babá e do chefe da segurança do ditador.

Vasily, Svetlana e Stalin (respectivamente)  / Crédito: Getty Images

 

Serviço militar

Apesar da melancolia constante, desde jovem, o menino demonstrava interesse em seguir na carreira militar. Aos 20 anos, ele já estava servindo como coronel da Força Aérea Soviética durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 1943, o militar já carregava uma grande responsabilidade quando comandou 26 combates aéreos durante dois meses. Por ser filho do líder da URSS, muitos o julgavam e achavam que ele estava ali por privilégios.

Por vantagens, ou não, Vasily continuou nos serviços militares e sua patente só aumentava, ele chegou a ser o Comandante das Forças Aéreas do Distrito Militar de Moscou. Mas, esse período de ascensão em sua vida estava prestes a terminar.

Polêmicas

Após o fim da Guerra, os interesses do soldado começaram a mudar, o homem passou a se dedicar aos esportes, especialmente ao hóquei. Até chegou até a montar um time, mas, abandonou tudo depois da morte do pai.

Josef Stalin / Crédito: Wkimedia Commons

 

O falecimento de Stalin, em 4 de março de 1953, foi um ponto de mudança na história de Vasily. Depois do fim do tirano, a herança maldita de ser filho de um ditador começava a se tornar mais evidente. Por isso, o homem acabou perdendo seu status e consequentemente, um pouco do poder que tinha na União Soviética.

Ainda em 1953, o filho de Stalin foi acusado de ter revelado informações sigilosas durante um jantar com diplomatas estrangeiros. Por isso, o militar foi preso por suspeita de ter diminuído a imagem do país, sendo negligente.

O comandante pediu clemência para os novos líderes locais, mas, depois de confessar os atos ele se tornou uma espécie de inimigo. Seu julgamento aconteceu com portas fechadas e sem nenhum representante legal.

O homem foi libertado da prisão quase 10 anos depois, em 11 de janeiro de 1960. Aposentado da carreira militar, sua vida nunca mais foi a mesma, e por isso, ele se deixou levar pelo seu maior vício: o álcool.  

Após ser liberado, o Partido Comunista garantiu alguns direitos para o comandante, como por exemplo, o pagamento de uma pensão, um apartamento na capital Moscou e a permissão de vestir sua farda militar, além de poder manter suas condecorações.

Infeliz, Vasily morreu em decorrência do alcoolismo, em 1962 dois dias antes de completar 41 anos.


+Saiba mais sobre a história militar da URSS por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

História da Guerra Civil Russa: 1917 – 1922, de Jean-Jacques Marie - https://amzn.to/2qOlpU7

A guerra não tem rosto de mulher, de Svetlana Aleksiévitch - https://amzn.to/32NFTcN

Stalingrado: 1942, Alexander Werth - https://amzn.to/2XcPoAY

Barbarossa. A Invasão da União Soviética Pela Alemanha Nazista em 1941, Will Fowler - https://amzn.to/37wQc8M

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W