Matérias » Personagem

Amantes de uma estilista: As influências masculinas na vida e criações de 'Coco' Chanel

Para Chanel, a liberdade estava acima de laços matrimoniais, contudo, homens sempre estiveram presentes em sua vida pessoal e profissional

Laura Wie Publicado em 28/08/2021, às 09h00

Ilustração de Gabrielle Chanel
Ilustração de Gabrielle Chanel - Openthedoor estúdio de animação (todos os direitos reservados)

O mês de agosto marca o nascimento de Gabrielle ‘Coco’ Chanel e, ao comemorar a herança que ela deixou para a moda feminina, é perceptível que muitas de suas ideias geniais foram originadas quando ela estava em companhia masculina. 

A estilista nunca se casou, preferindo ter ao longo da sua vida apenas casos amorosos. É notória a influência que ela recebeu de vários de seus amantes.

Openthedoor estúdio de animação (todos os direitos reservados)

 

Do início de sua juventude até a maturidade, Coco teve envolvimentos apaixonados e na maior parte das vezes bastante longos, que frequentemente resultaram em decisões pontuais que iriam marcar a sua trajetória e muitas de suas criações emblemáticas. 

Como eu destaco neste episódio bônus do podcast ‘Aventuras Narradas e Moda com História’ no especial ‘A saga de Gabrielle Chanel’, algumas desses itens se tornaram lugar-comum: as calças femininas, o visual esportivo e a jaquetinha de tweed, entre outras peças. E até as composições atuais de grande parte das fragrâncias modernas tem como referência o perfume Chanel N° 5, que recebeu o tato e a sensibilidade masculino.

“Coco nunca casou e sempre dizia que a sua liberdade estava acima de laços matrimoniais, mas isso não quer dizer que ela não tinha companhia masculina o tempo todo. Na verdade, foram muitas vezes os seus amantes que, vindos de classes sociais mais altas, aconselharam, sugeriram ou apresentaram possibilidades que ampliaram os horizontes da costureira órfã que foi criada em uma rígida educação num convento de freiras”.

Saiba mais sobre o tema através do episódio bônus abaixo.