Matérias » EUA

Andrew Jackson vs. Charles Dickinson: o mais icônico duelo de pistolas da História

Dickinson era o maior pistoleiro do Tennessee na época em que ofendeu Jackson — futuro presidente dos EUA — que o desafiou para um duelo. O conflito acabou em tragédia

André Nogueira Publicado em 02/01/2020, às 08h00

O curioso episódio
O curioso episódio - Divulgação

Em 30 de maio de 1806, Andrew Jackson duelou com o famoso pistoleiro Charles Dickinson, vencendo-o e matando-o no combate.

Tudo começou com trocas de insultos entre os cavalheiros. Dickinson, tocando num ponto fraco de Jackson, chamava sua esposa de bígama, pois Jackson casou-se com ela quando ela ainda era oficialmente casada com o primeiro marido, fazendo com que Jackson ficasse extremamente nervoso.

O atrito entre Dickinson e Jackson era anterior. Jackson e o sogro de Dickinson eram criadores de cavalos rivais e a situação se intensificou quando Jackson apostou com Joseph Erwin em uma corrida.

O vencedor ganharia US$ 2.000,00 do outro e no caso da não participação do cavalo de algum dos dois, isso acataria uma dívida de US$ 800,00. Como o cavalo de Erwin não correu por ter sofrido um acidente, ele devia o dinheiro para Jackson.

Gravura de duelo de pistolas do XIX / Crédito: Reprodução

 

Logo depois, houve uma grande desavença relacionada com insultos que eles teriam trocado. Então, Dickinson escreve a Jackson chamando-o de covarde, o que começou uma longa briga por cartas, que se resumiam a troca de farpas entre si, algumas até mesmo foram publicadas pelo National Review.

Em 1806, Dickinson envia uma carta chamando Jackson de “canalha sem valor, e um covarde”. Jackson o responde, rebatendo-o de “guarda-costas sem valor, bêbado”.

Os climas de exaltação foram tamanhos que, mesmo sabendo da fama de invicto de Dickinson nos duelos do Tennessee, Jackson desafiou o adversário para um duelo de pistolas. Como estes duelos eram proibidos na cidade, os dois foram para Logan, no Kentucky, e lutaram.

Jackson dispara o primeiro tiro contra Dickinson. Em seguida, Jackson é atingido no peito, mas se mantem de pé. E assim mirou cuidadosamente e puxou o gatilho, que travou.

Andrew Jackson engatilhou novamente o revólver e tentou atirar, dessa vez atingindo bem no meio do peito de Dickinson. O qual morreu algumas horas depois, enquanto Jackson manteve-se com a bala no peito e tornou-se presidente dos EUA em 1829.