Matérias » Personagem

Antecessor de Lampião: conheça Sinhô Pereira, o cangaceiro que comandou o Sertão

Nascido na mesma cidade que o Rei do Sertão, ele foi o responsável pela ascensão de Virgulino ao posto de comando pelo qual ficaria famoso

André Nogueira Publicado em 05/07/2020, às 08h00

Sinhô Pereira
Sinhô Pereira - Divulgação/Youtube/Cangaçologia

Lampião não entrou no cangaço como rei, mas teve que ascender em meio àquele ambiente até chegar à posição de destaque. Ele ingressou ao movimento em 1920, época do auge do comandando bandoleiro que o levaria à soberania do cangaço: Sinhô Pereira.

Este era o nome de guerra de Sebastião Pereira e Silva, um sertanejo da mesma origem que Virgulino: Serra Talhada, Pernambuco. Responsável por um fortalecimento importante no cangaço, ele comandou as tropas que tomaram o sertão antes do zênite atingido pelo sucessor.

Sinhô Pereira era oriundo de uma importante e rica família do semiárido, descendendo do Barão de Pajeú e, por isso, tinha conexões e conhecimentos de destaque. No início da vida trabalhou no campo, em meio às produções da família, e foi alfabetizado cedo.

Porém, como era corriqueiro entre famílias poderosas, os Pereira estavam envolvidos com disputas acirradas com outros grupos políticos e econômicos da região, em especial os Carvalho. Influência política e posse de terras eram os principais pontos de conflito.

Esses atritos interfamiliares desencadearam uma série de assassinatos e vinganças que desestabilizou os grupos. Algumas dessas mortes, em especial a de um patriarca próximo de Sebastião, fizeram com que ele e o primo, Luiz Padre, fossem atrás de vingança contra a impunidade através do cangaço, em 1907.

Ingressando um bando numeroso que costumava atuar em Pernambuco, os parentes rapidamente ganharam destaque na atuação em batalhas. Logo, Sinhô Pereira ganhou o apelido de Demônio do Sertão, graças à fama causadas por suas habilidades de guerrilha.

Mesmo com fama de justiceiro, Sebastião não se sentia bem em estar à margem da lei. Isso o levou a se afastar do cangaço por um tempo, em 1918, junto ao primo, e buscar uma vida comum. Porém, logo, retornaram à vida de bandoleiro.

Em 1920, um parente também entrou no cangaço: Virgulino Ferreira. Eram próximos, na infância ambos moraram perto do outro e a mãe de Lampião era madrinha do pai de Sebastião. 

Aos 26 anos, então, ele voltou a cogitar a saída do cangaço para constituir família, uma vez pressionado pelo Padre Cícero Romão, que teria enviado uma carta pedindo para que os primos deixassem o Pajeú em busca de uma vida melhor. Alguns historiadores confirmam que, ao ser respondido positivamente, o sacerdote se comunicou em um padre do Piauí, de nome Castro, para ajudar os dois.

Sinhô Pereira mais idoso / Crédito: Divulgação/YouTube

 

O religioso receberia os dois jovens para levá-los para o Maranhão, onde poderosos agricultores os auxiliariam. Porém, preferiram ir até Goiás, com o objetivo de conquistar uma vida independente. Mas, antes, Sinhô Pereira entregou ao parente Virgulino, que se tornaria Lampião, o comando de suas tropas. Isso teria se dado pela relação de confiança entre os cangaceiros e pela proatividade violenta do mais jovem.

Luiz Padre permaneceu no município goiano de Anápolis, no entanto, Sinhô decidiu se deslocar até Minas Gerais, onde continuou sua vida. Recebeu o título de cidadão mineiro e optou por um estilo pacato e familiar. Morreu em 1979, em Lagoa Grande.


+Saiba mais sobre o Cangaço através das obras abaixo, disponíveis na Amazon:

Apagando o Lampião: Vida e Morte do rei do Cangaço, Frederico Pernambucano de Mello - https://amzn.to/2RUsU7d

Lampião, Senhor do Sertão. Vidas e Mortes de Um Cangaceiro, de Élise Grunspan Jasmin (2006) - https://amzn.to/2RWQq3r

Guerreiros do sol: violência e banditismo no Nordeste do Brasil, de Frederico Pernambucano de Mello (2011) - https://amzn.to/2YQNZ3Y

Os cangaceiros: Ensaio de interpretação histórica, de Luiz Bernardo Pericás - https://amzn.to/2YROsms

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W