Matérias » Personagem

Antoni Gaudí: O símbolo do modernismo catalão

Nos 167 anos do arquiteto, conheça suas principais obras, que compõem a paisagem de Barcelona

Letícia Yazbek Publicado em 25/06/2019, às 12h00 - Atualizado às 18h06

None
- Reprodução

Nascido em 25 de junho de 1852, na cidade de Reus, na Catalunha, Espanha, o arquiteto Antoni Gaudí desenvolveu um estilo único, que o tornou mundialmente conhecido. Gaudí fez parte do movimento modernista catalão, que atingiu seu apogeu entre o final do século 19 e início do século 20.

Gaudí estudou arquitetura na Escola Superior de Arquitetura de Barcelona, e viveu grande parte da vida nessa cidade, onde estão localizadas suas mais famosas construções. A arquitetura de Gaudí é conhecida por ser repleta de detalhes e misturar diferentes cores e texturas.

Gaudí, em março de 1878 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Com forte inspiração na natureza, na religião e na tradição catalã, o arquiteto utilizou cerâmica, ferro forjado, vitral e marcenaria para criar uma identidade que transcende o próprio modernismo. Hoje, a cidade de Barcelona é conhecida internacionalmente pela obra de Gaudí. Entre 1984 e 2005, sete das suas obras foram classificadas como Património Mundial pela UNESCO.

Conheça algumas das principais obras do arquiteto:

1. Templo Expiatório da Sagrada Família

Crédito: Wikimedia Commons

 

Obra mais famosa de Gaudí, o inacabado templo católico é parada obrigatória para quem visita Barcelona. Último trabalho do arquiteto, o projeto teve início em 1883 e estava em andamento quando Gaudí faleceu após ser atropelado, em 1926, aos 73 anos.

A construção da Sagrada Família foi suspensa em 1936, devido à Guerra Civil Espanhola. A partir dos anos 1950, os avanços tecnológicos permitiram grandes progressos no projeto. Mesmo assim, não se estima conclusão para antes de 2026.

2. Parque Güell

Crédito: Reprodução

 

Foi construído por encomenda do empresário Eusebi Güell entre 1900 e 1914. O parque é formado por diversas construções coloridas, marcadas pelo contraste de texturas e materiais. O local abriga a Casa-Museu Gaudí, onde o artista morou durante quase 20 anos e cujo acervo inclui obras e objetos pessoais. O Parque Güell pertence à fase naturalista de Gaudí, período em que o arquiteto aperfeiçoou seu estilo.

3. Casa Batlló

Crédito: Reprodução

 

Construída para a família Batlló, entre 1904 e 1906, a casa foi projetada para aproveitar o máximo possível de iluminação natural. Os detalhes da fachada, os materiais e seu interior foram todos pensados com esse propósito. As colunas que formam a fachada lembram estruturas ósseas — por isso, a obra também foi chamada de Casa dos Ossos. Aberta ao público, é um movimentado ponto turístico da cidade.

4. Casa Milà

Crédito: Wikimedia Commons

 

Também conhecida como La Pedrera, foi construída entre 1905 e 1907 para o casal Roser Segimon e Pere Milá. É considerada mais uma escultura do que um edifício, por suas formas curvas e inesperadas. A construção foi fortemente inspirada na natureza — o sótão, por exemplo, é formado por arcos que lembram os nervos das folhas das palmeiras.

5. Casa Vicens

Crédito: Wikimedia Commons

 

Foi construída entre 1883 e 1888, encomendada pelo dono de uma fábrica de tijolos e azulejos. O projeto foi o primeiro de Gaudí no ramo de casas de habitação. Com ladrilhos decorativos e linhas retas, a Casa Vicens é uma união entre a tradição burguesa espanhola e o estilo arquitetônico árabe.