Matérias » Pré-História

Arqueólogos encontram mural de quatro mil anos no Peru

Localizado em prédio cerimonial, mural apresentava imagens de humanos e animais

Joseane Pereira Publicado em 20/08/2019, às 18h41

None
Reprodução

Nesta última segunda feira, arqueólogos encontraram em Vichama, ao norte de Lima, um mural com representações de anfíbios e humanos. O achado, confinado em um prédio cerimonial público, fazia parte de um dos centros populacionais mais importantes da civilização de Caral, também conhecida como Norte Chico, que data de cinco mil anos atrás.

Para Ruth Shady Solís, diretora da Zona Arqueológica de Caral (ZAC), as cenas do mural representam a chegada de água através das chuvas. Segundo ela, civilizações andinas consideravam o sapo uma representação de água, e a face humana abaixo dele demonstraria como a cultura precisava da chuva para dar continuidade à vida.

Também foram retratadas quatro cabeças humanas com cobras envolvendo-as. Tatiana Abad, arqueóloga envolvida no achado, afirmou que as esculturas representam um momento de escassez e fome para as pessoas que lá viviam.

Vichama está localizado na província de Huaura, no atual Peru, a cerca de 150 km ao norte da capital Lima. As escavações se iniciaram por lá em 2007, e os especialistas acreditam que o local era uma antiga comunidade agrícola e pesqueira.

A Cidade Secreta de Caral, na província de Barranca, no Peru, é descrita como o centro civilizacional mais antigo encontrado nas Américas. O local foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2009, e acredita-se que a cultura tenha declinado misteriosamente por volta de 1800 a.C. Para Shady, a nova descoberta dos murais de Vichama pode apontar nas mudanças climáticas o motivo para a queda da civilização de Caral.