Matérias » Personagem

Morte enigmática aos 20: A turbulenta intimidade de Nancy Spungen

Dormindo com membros de bandas famosas, foi com o baixista do Sex Pistols que a jovem enérgica consagrou-se como a maior groupie do punk

Wallacy Ferrari Publicado em 15/08/2020, às 08h00

Retrato fotográfico de Nancy Spungen em preto e branco
Retrato fotográfico de Nancy Spungen em preto e branco - Wikimedia Commons

Nascida em 27 de fevereiro de 1958, a jovem Nancy Spungen Laura já nascia rodeada de dificuldades médicas. De acordo com a mãe Deborah, no livro ‘And I Don't Want to Live This Life’, os médicos do Hospital da Universidade da Pensilvânia identificaram uma cianose grave, que a acompanharia por toda a vida. Para piorar, quase morreu asfixiada com o cordão umbilical preso no pescoço durante o parto.

Mesmo assim, veio ao mundo sem danos cerebrais e conseguiu alta oito dias após o nascimento. Prosseguiu a infância em uma família judia, mas já sofria com crises de choros e acessos de raiva, sendo prescrita com barbitúrico líquido tendo apenas 3 meses de vida. Agressiva e enérgica, foi expulsa da escola aos 11 anos de idade.

Para diminuir os acessos de fúria, a família decidiu internar Nancy em um internato; dois anos depois, ela não só fugiu, como foi encontrada gravemente ferida após tentar suicídio com cortes de tesoura nos punhos. Aos 15 anos, o psiquiatra que realizava o acompanhamento da garota a diagnosticou com esquizofrenia.

A condição não foi um problema acadêmico para a garota; dois anos depois, conseguiu concluir o colegial e até foi aprovada na University of Colorado Boulder, mas foi expulsa e presa por adquirir maconha e armazenar carga roubada em seu dormitório ainda no primeiro semestre do curso. Com 17 anos, a garota decidiu dar uma volta completa no estilo de vida, fugindo de casa e viajando para Nova York.

Nancy conhece Sid

Nancy assumia o fato de que era uma groupie e se aproximava de músicos famosos apenas porque tinha drogas para oferecer. Trabalhando anteriormente como stripper, a jovem sedutora conseguiu fazer a cabeça de diversos roqueiros, dormindo com membros das bandas Aerosmith, Ramones e The New York Dolls. Porém, seu alvo principal acabou sendo um jovem talento.

Cena do filme 'Sid e Nancy - O Amor Mata', lançado em 1986 / Crédito: Divulgação

 

A paixão da tiete com Sid Vicious, baixista da banda punk Sex Pistols, foi apontada como a principal causadora da dependência em drogas do rapaz. Em relatos de biógrafos, companheiros de banda e parentes, o casal passava a maior parte de seu tempo consumindo barbitúricos, morfina sintética e heroína.

Entre 1977 e 1978, os pombinhos residiram no quarto 100 do Hotel Chelsea, em Nova York, com diversos episódios de brigas domésticas; o casal foi visto em diversas aparições públicas com queimaduras de cigarro em todo o corpo. John Lydon chegou a afirmar que a jovem afundava o músico, resultando em apresentações medíocres em decorrência das drogas: “Fizemos tudo o possível para ele livrar-se de Nancy... Ela estava o matando”.

O pacto final

Na manhã de 12 de outubro de 1978, o relacionamento foi encerrado abruptamente; Sid encontrou a companheira morta com uma faca apunhalada no abdômen. O artefato pertencia ao músico e havia sido cravado em um golpe único, sem outra estocada. A faca Jaguar, modelo Wilderness K-11, não tinha marcas de digitais além das de Nancy.

Mesmo sem relação com o crime — como posteriormente confirmado em investigações — o baixista preferiu assumir o assassinato em depoimentos inconclusivos. Uma semana depois, já preso, o músico assumiu que havia feito um pacto de vida com a companheira, mas não cumpriu, se declarando inocente e libertado sob fiança. Existem teorias de que Nancy foi morta por traficantes, porém, Sid assumiu a autoria para evitar maiores problemas com criminosos.

O biógrafo Phil Strongman alega, no livro ‘Pretty Vacant: A History of Punk’, que o Rockets Redglare teria sido o assassino da jovem de 20 anos. O ator negou por toda a vida e não chegou a ser relacionado pela polícia de Nova York. A investigação da morte durou quatro meses, sendo encerrada após a morte de Sid por uma overdose, impossibilitando seu julgamento.


+Saiba mais sobre música por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

O livro da música clássica, de Vários Autores (2019) - https://amzn.to/2UXEqQy

Como Ouvir e Entender Música, de Aaron Copland (2017) - https://amzn.to/3c8V7ht

Falando de música, de Leandro Oliveira (2020) - https://amzn.to/2xkz6O5

Uma história da música popular brasileira: das Origens à Modernidade, de Jairo Severiano (2013) - https://amzn.to/34wM1sj

Uma breve história da música, de Roy Bennett (1986) - https://amzn.to/3a35ylg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W