Matérias » Personagem

Até o começo do século 20, não era comum que mulheres usassem calças

No episódio de hoje do podcast 'Aventuras Narradas e Moda com História', a especialista em História da Moda, Laura Wie, explica como Gabrielle Chanel foi essencial na adesão da peça entre as mulheres

Redação Publicado em 05/06/2021, às 00h00

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Imagem de Deborah Kruse por Pixabay

Na Idade Média, as calças se tornaram populares entre os bizantinos e logo foram adotadas, graças à praticidade, pelos homens na Europa Ocidental.

Já era fim do século 19 quando mulheres começaram a vesti-las, não sem chocar a sociedade pela definição que a peça trazia ao corpo feminino – em Paris, uma lei de 1800 proibia mulheres de usar calças.

Foi justamente uma francesa, Coco Chanel, quem deu um passo fundamental para mudar a questão. A dificuldade em cavalgar usando vestidos, vencida pelos homens tanto tempo antes, foi uma das motivações da estilista, que trouxe a peça definitivamente para os guarda-roupas femininos.

Popularizando um modo de se vestir mais elegante e simples, com calças femininas e o icônico pretinho básico, ela elevou o padrão da moda no século 20, uma influência que permanece até os dias de hoje.

Entenda como se deu todo esse processo histórico no episódio de hoje do podcast ‘100 anos do Chanel n°5’, que além de já ter abordado como se deu a explosão da criação mais famosa de Chanel, relembra a sua incrível trajetória no mundo da moda.

Confira o episódio abaixo com roteiro e narração de Laura Wie, especialista em História da Moda, e idealizadora do projeto ‘Moda com História’.