Matérias » Estados Unidos

Amor, prisão e banho ácido: o eletrizante — e insano — casal Linda Riss e Burt Pugach

Repleto de episódios bizarros, o relacionamento até mesmo inspirou um premiado documentário em 2007

Wallacy Ferrari Publicado em 29/01/2021, às 14h00 - Atualizado às 20h41

O casal, durante o lançamento do documentário Crazy Love, em 2007
O casal, durante o lançamento do documentário Crazy Love, em 2007 - Divulgação / FAME

Histórias de amor em obras ficcionais normalmente são compostas com exemplos de dramas, superação e a ideia do amor incondicional como final feliz. Burton Pugach e Linda Riss formaram um casal que até seguia essa linha, mas conseguiu ser a união mais bizarra que os Estados Unidos já viu.

Burt, nascido em 1927, trabalhava como advogado e era conhecido pelo temperamento enérgico, porém gentil. Linda, nascida em 1937, tinha apenas 21 anos quando conheceu o rapaz.

Sempre esbanjando cavalheirismo, o namorado a levava para boates dançantes em Manhattan, Nova York, além de passear com um bonito Cadillac azul. Um único detalhe poderia atrapalhar o início desse relacionamento: Burton estava casado.

O casal, durante o aniversário da jovem, em 1958 / Créditos: Divulgação / Magnolia Pictures

 

Ou eu, ou ela

A jovem, que pedia constantemente ao companheiro para que o mesmo se divorciasse, cansou de ser enrolada e deu um veredito; não o acompanharia enquanto não houvesse a separação. Se algo ocorresse, prometeu que ainda iria até sua casa e relataria o relacionamento para sua esposa. O advogado não gostou do trato e retrucou: “Se eu não posso ter você, ninguém mais terá você, e quando eu terminar com você, ninguém mais vai querer você”.

Linda começou a sofrer ameaças do rapaz e relatou os episódios para a Polícia de Nova York, que não chegou a investigar ou amparar a vítima. Em 1959, a moça foi até Burt e implorou para que as ameaças cessassem, afirmando estar conhecendo uma outra pessoa e possivelmente noivando. A afirmação deixou o advogado ainda mais enciumado.

Dias depos, Burt pagou três rapazes para emboscar a amante em um ataque com soda cáustica. Atirando o produto em seu rosto, os agressores deixaram a jovem permanentemente cega no olho direito, comprometendo parte de sua visão do olho esquerdo e a deixando uma cicatriz que ficaria até o resto de sua vida. Com os relatos anteriores, a Polícia associou o advogado ao crime e o condenou a 14 anos de prisão.

Regime fechado com você

Apesar do ataque macabro — que obrigou Linda a usar óculos escuros pelo resto de sua vida — o casal de pombinhos continuou a conversar por carta. Com a divulgação do caso na imprensa, a esposa do advogado soube de tudo e decidiu separar do marido. Linda, por sua vez, cumpriu sua promessa e reatou com o agressor ainda na prisão.

Quando Burt foi solto, em 1974, Linda passou a morar junto com o companheiro e chamou ainda mais atenção da imprensa americana. Após a audiência final de sua liberdade condicional, um repórter chegou a perguntar se o criminoso tinha algo a dizer para a moça, prevendo uma resposta relacionada ao arrependimento. Burt foi mais criativo e propôs a jovem em casamento em frente a câmera.

Após o casamento, Linda foi questionada diversas vezes sobre o motivo de manter o companheiro após o ato de mutilação. Sem relutar, afirmou com tranquilidade ao Boston Globe: “Burt é meu melhor aliado, ele é meu melhor amigo, ele cuida de mim como ninguém faria".

O casal Burt e Linda Pugach juntos em um jantar, em 1974 / Créditos: Divulgação / Magnolia Pictures

 

Você não é a única

Em 1996, Burt voltou a ser alvo de um julgamento, dessa vez com acusações de Evangeline Borja, que alegou ser amante do advogado durante cinco anos e que começou a sofrer ameaças após o término do relacionamento. A acusação também incluía um relato de violência sexual e assédio.

Diferente da primeira esposa, Linda mostrou-se aliada e testemunhou a favor do marido, reafirmando parte das afirmações da vítima, enfatizando que seu marido era um adúltero, mas não um criminoso. Assim saiu do tribunal com os braços entrelaçados aos do marido recém-condenado por assédio de segundo grau.

Em 2007, o casal, completando 33 anos de casório, protagonizaram um premiado documentário chamado Crazy Love, onde Burt afirma que a história finalmente deixou de ser preta e branca e teve cores públicas.

O casal recebeu US$ 50 mil para a venda de sua história: “Sou eu e Burt contra o mundo”, afirmou Linda em coletiva. Burt tem 93 anos e perdeu a companheira em 2013, aos 75 anos, vítima de uma insuficiência cardíaca. 


+Saiba mais sobre crimes que chocaram o mundo obras disponíveis na Amazon:

De frente com o serial killer, de Mark Olshaker e John E. Douglas (2019) - https://amzn.to/2UX47R4

Lady Killers: As mulheres mais letais da história, de Tori Telfer (2019) - https://amzn.to/3c7BoPb

Mindhunter: O Primeiro Caçador de Serial Killers, de John Douglas e Olshaker Mark (2017) - https://amzn.to/2xccb7L

Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado, de Ann Rule (2019) - https://amzn.to/3cauuc9

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W