Matérias » Personagem

Barão de Coubertin: O aristocrata francês que idealizou a volta dos jogos olímpicos

Em 15 de abril de 1896, Pierre de Fredy viu seu sonho se tornar realidade

Redação Publicado em 07/08/2021, às 08h00 - Atualizado às 10h38

O Barão de Coubertin
O Barão de Coubertin - Wikimedia Commons

Há 158 anos, nascia em Paris Pierre de Fredy, que entraria para a história como barão de Coubertin. No final do século 19, seria dele a iniciativa de reviver um evento esportivo de sucesso entre os gregos antigos: as Olimpíadas. 

“Ao esculpir seu corpo por meio do exercício como o escultor faz com uma estátua, o atleta antigo honrava os deuses. Ao fazer algo semelhante, o atleta [moderno] honra seu país, sua raça e sua bandeira”, disse Pierre em 1935. 

Pierre de Coubertin poderia ter sido padre, militar ou simplesmente flanar pelo mundo em busca de aventuras. Era um homem rico. Mas, ao fugir dos desígnios do pai, foi escrever sua própria história. Uma história que alterou o percurso do mundo moderno.

Tocha olímpica sendo acesa nos Jogos de 1988, na Coreia do Sul /Crédito: Getty Images

 

No dia 15 de abril de 1896 em Atenas o coração de Coubertin batia mais forte, conforme o barulho da multidão aumentava. Era a torcida ovacionando seus heróis da maratona, a última competição dos Primeiros Jogos da era moderna.

Ao fim do evento, Pierre saiu do estádio sem ser percebido. Não havia tido as glórias que merecia. Mas finalmente seu sonho se tornava realidade: os Jogos Olímpicos haviam voltado. 

Abaixo você confere alguns dos principais fatos de sua saga através do novo vídeo da série 'Aventuras em 1 minuto'.