Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Bebê Rena

Bebê Rena: As revelações sobre a ‘Martha’ da vida real

Com histórico de perseguições e ataques, pessoas que viveram com "Martha" da vida real revelaram tensos momentos que viveram junto a ela; confira!

A personagem Martha em 'Bebê Rena' - Divulgação / Netflix
A personagem Martha em 'Bebê Rena' - Divulgação / Netflix

"Bebê Rena",minissérie britânica de drama, suspense e humor ácido, é uma obra perturbadora e cativante que explora os meandros da mente humana em face do trauma e da obsessão. Graças a esses motivos, a produção vem alcançando altos níveis de popularidade entre o público, se mantendo no Top 10 da Netflix há mais de duas semanas.

Criada e protagonizada por Richard Gadd, a série se baseia em seu show autobiográfico homônimo e em eventos reais da vida do ator, que foi perseguido e abusado sexualmente aos vinte anos.

Na trama, conhecemos Donny Dunn (Gadd), um comediante em ascensão que luta para encontrar seu lugar no mundo. Em meio às dificuldades da carreira, ele conhece Martha Scott (Jessica Gunning), uma mulher misteriosa e aparentemente vulnerável. Donny, tomado por compaixão, oferece-lhe um chá em seu local de trabalho, iniciando uma série de eventos que o levarão a um turbilhão psicológico.

Os personagens Donny e Martha - Divulgação / Netflix

Em pouco tempo, os investigadores online localizaram uma mulher escocesa de 58 anos com características semelhantes à fictícia perseguidora 'Martha', apesar das declarações do comediante Richard Gadd,autor e protagonista do programa autobiográfico, de que ele disfarçou sua identidade de forma a torná-la irreconhecível para ela mesma. No entanto, algumas pessoas descobriram algumas "verdades" sobre a suposta Martha. Confira!

Ataques no Partido

quase 25 anos, diversos simpatizantes do partido estiveram presentes quando a mulher foi removida à força de uma reunião de seleção parlamentar do partido em Glasgow. Naquele dia, ela protagonizou um ataque verbal surpreendente contra um dos candidatos.

Ela estava furiosa com uma mulher negra, candidata de Londres, que buscava a nomeação parlamentar de Glasgow Cathcart. Na época, a mulher em questão era membro do Partido Trabalhista. Seu ataque levou a candidata potencial às lágrimas, acusando-a de ter sido inserida de última hora na lista de membros do partido para "excluir as mulheres escocesas locais da seleção".

A candidata, uma vereadora trabalhista do sudeste de Londres, estava ao telefone quando a mulher interveio, arrancando o aparelho de suas mãos e puxando seu cabelo de forma agressiva, antes de ser expulsa à força pelos membros do partido.

Jessica Gunning como Martha - Divulgação / Netflix

Em uma entrevista ao jornal Glasgow Herald após o incidente, a mulher, acredita-se ser a inspiração para o personagem Martha na peça "Bebê Rena", declarou: "No que me diz respeito, houve brigas antes da reunião, houve brigas depois da reunião, e houve um incidente com uma minoria étnica".

Ataques familiares

No mesmo período, a mulher estava importunando diversos membros influentes do Partido Trabalhista após falhar em sua tentativa de assegurar uma nomeação para um assento no Parlamento Escocês. O mais proeminente dos alvos foi o falecido Donald Dewar, que se tornou o primeiro-ministro da Escócia em 1999 e morreu em 2000, aos 63 anos.

Segundo informações exclusivas divulgadas Mail on Sunday na semana passada, Laura Wray, viúva do falecido deputado trabalhista Jimmy Wray, também relata ter sido alvo da mulher por cerca de cinco anos após contratá-la como estagiária em seu escritório de advocacia em Glasgow, em 1997.

Laura Wray, que relatou ataque a família - Reprodução / Whrightmedia

No entanto, a Sra. Wray dispensou seus serviços poucos dias após notar comportamentos alarmantes e, posteriormente, ficou tão preocupada que instalou alarmes de pânico em seu escritório. Ela relata que, em determinado momento, a mulher chegou a ameaçar de morte seu marido.Laura Wray afirmou ter reconhecido seu perseguidor assim que assistiu à produção.

Isso colocou fora de dúvida", disse ela. "Eu a vi fazer isso. Conheço Martha pelo nome verdadeiro, mas fiquei de queixo caído assistindo a série. Isso me trouxe tantas coisas que eu havia esquecido".

Em uma cena crucial do drama, o personagem interpretado por Gadd, Donny, é retratado pesquisando Martha no Google, encontrando um artigo fictício de jornal que destaca: "Perseguidora doente ataca o filho surdo do advogado".

Na realidade, a mulher fez acusações falsas contra Laura e seu marido, alegando agressão contra seu filho, Frankie, que nasceu em 2002 com uma condição cromossômica rara. O ponto de ruptura ocorreu quando Laura buscou uma ordem de restrição, a qual foi concedida, de acordo com o Daily Mail.

Origem das obsessões

Apesar de sua origem, os detalhes que envolvem a vida da mulher por trás do enigmático perfil da perseguidora fictícia "Martha" estão vindo à tona, revelando uma trama complexa enraizada em uma pequena aldeia próxima a Stirling.

Nascida e criada nessa aldeia, ela vem de uma linhagem de criadores de gado com uma história que remonta a mais de um século. A mais velha de duas filhas, seus pais, um ex-mecânico do exército e uma assistente de vendas, compõem a trama familiar, embora o pai tenha falecido e a mãe, juntamente com sua irmã, tenha se recusado a fornecer qualquer declaração aos jornalistas.

A personagem Martha, stalker de 'Bebê Rena' - Divulgação / Netflix

Uma análise de suas redes sociais revela uma infância feliz, com várias fotografias antigas exibindo momentos de alegria e inocência.

De acordo com um relato recente ao Daily Mail, uma moradora aposentada que viveu ao lado da mulher em Glasgow por quase cinco anos revelou que nunca a viu voltar para casa ou receber visitas. A moradora, que preferiu não ser identificada, compartilhou sua experiência vivendo ao lado da mulher no bairro de Jordanhill.

Ela lembra que, logo após a mudança da mulher para o apartamento ao lado, ela fez questão de se apresentar. "Inicialmente, pensei que ela fosse muito simpática", diz a ex-vizinha, que desde então se mudou.

"Ela afirmou ser secretária jurídica e trabalhar para um renomado escritório de advocacia. Estava sempre bem vestida e expressava-se com desenvoltura. Parecia ter um amplo conhecimento sobre diversos assuntos".

Mas então ela começou a bater na minha porta o tempo todo. Primeiro ela pediu açúcar, depois foram saquinhos de chá. Ela costumava inventar todo tipo de desculpas estranhas para bater. A situação ficou tão ruim que eu tive que fingir que não estava. Eu até estacionava meu carro na rua para que ela não pudesse ver", continuou.

"Depois que ela se mudou, ela continuou me ligando. Chegava a ser cinco vezes por dia. Pedi que ela parasse, mas ela não parou, até que ameacei chamar a polícia".

Gunning viveu a stalker na minissérie famosa da Netflix - Divulgação / Netflix

Número das perseguições

Na série da Netflix, ela é retratada subindo no balcão do bar e se vangloriando de ser uma advogada de prestígio, ao mesmo tempo em que alega não ter dinheiro para comprar uma bebida. Comovido com sua situação, Gadd, decide oferecer-lhe uma bebida por conta da casa.

Nos quatro anos e meio seguintes, Gadd relata ter recebido 41.071 e-mails, 744 tweets, além de cartas totalizando 106 páginas e 350 horas de mensagens de correio de voz da mulher mais velha.