Matérias » Personagem

Boêmia, samba e originalidade: há 110 anos, nascia Noel Rosa

'Queixinho' foi responsável por revolucionar a música popular brasileira em sete anos de carreira

Victória Gearini Publicado em 11/12/2020, às 00h00

Noel Rosa, sambista carioca
Noel Rosa, sambista carioca - Wikimedia Commons

"Seu garçom, faça o favor de me trazer depressa / Uma boa média que não seja requentada / Um pão bem quente com manteiga à beça".

O trecho acima da vida a Conversa de Botequim, um dos maiores sucessos de Noel Rosa que era sambista, compositor, bandolinista e violonista que se consagrou como um dos mais importantes nomes da música brasileira.

Embora sua morte tenha sido precoce — no auge dos seus 26 anos — o cantor deixou um grande legado, não só para a história do samba, mas também para a música popular brasileira.

Nascido no dia 11 de dezembro de 1910, no Rio de Janeiro, Noel de Medeiros Rosa sofreu um acidente em seus primeiros minutos de vida. Devido às complicações durante o parto, os médicos optaram por utilizar um fórceps para auxiliar a retirada do feto. No entanto, o instrumento lhe causou uma fratura profunda que afundou o seu maxilar. Tal fato, mais tarde, lhe rendeu o apelido “Queixinho”.

Provindo de uma família de classe média, o garoto não era dedicado nos estudos, em contrapartida, aprendeu a tocar bandolim ainda cedo, motivo que o fez gostar ainda mais da música. Entretanto, poucas pessoas imaginavam que o jovem esguio e tímido, fosse se tornar um dos maiores músicos da história brasileira. 

Noel Rosa, sambista, bandolinista e violonista / Crédito: Divulgação / Youtube / uubeatle

 

As composições de Noel Rosa incorporaram uma nova linguagem para a canção popular brasileira e revolucionaram a música da época, em um período de apenas sete anos — que correspondem entre 1930 e 1937. 

Sob influência do som nordestino, que se popularizou no Rio de Janeiro no final da década de 1920, o sambista começou a compor suas músicas. Dentre os artistas que o músico se inspirou estava o grupo pernambucano Turunas da Mauriceia. 

Com um tom coloquial urbano, o artista demonstrava não fazer nenhum esforço para apresentar profundidade e originalidade em suas composições. De forma natural, a melodia do músico inovou ao mostrar o lado lúdico do samba.

Por outro lado, Noel Rosa deixou de lado a entoação nostálgica e bucólica das canções sertanejas — que podem ser percebidas em suas primeiras obras. 

Samba carioca

Com a crescente do samba carioca, provindo dos morros e dos subúrbios, Noel Rosa passou a ter maior contato com esse estilo musical em rodas de botecos. Na época, muitos jovens se reuniam no bairro do Estácio de Sá, onde alteravam a batida do samba sob a influência do maxixe. 

Registro profissional de Noel Rosa, em 1935 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Graças aos encontros destes jovens sambistas, originou-se o samba carioca como é conhecido hoje em dia. A partir disso, o músico incorporou em suas canções o novo ritmo, que o levou a criar a ilustre canção 'Com que Roupa?', no ano de 1930.

Conhecido como o Poeta da Vila, Rosa amplamente reconhecido por retratar a beleza natural do Rio Janeiro e o cenário urbano caótico da cidade carioca. Por meio de obras regadas de humor e lucidez, o artista foi capaz, ainda, de incorporar em suas canções, personagens que expressassem a pobreza e malandragem carioca. 

Com uma habilidade inestimável para música, Noel Rosa era dono de uma grande sensibilidade, que lhe permitiu escrever canções que retratavam fatos cotidianos.

Considerado um dos maiores cronistas da música popular brasileira, o artista compunha, ainda, sambas, marchas, valsas, gravava discos, fazia shows e chegou a trabalhar em algumas estações de rádio da época. 

Momentos finais 

Frequentador de botequins do Rio de Janeiro, levava uma vida boêmia, até que sua vida foi abruptamente interrompida. Em seus últimos anos de vida, o cantor enfrentou uma tuberculose, que na época matou muitas outras pessoas.

Estátua de Noel Rosa, em Vila Isabel, no Rio de Janeiro / Crédito: Wikimedia Commons

 

No dia 4 de maio de 1937, o músico veio a falecer em decorrência da doença, com apenas 26 anos de idade. Embora sua carreira tenha sido curta, no período de sete anos, Noel Rosa foi capaz de revolucionar o samba e a música popular brasileira como um todo, servindo de inspiração para as gerações futuras de músicos.


+Saiba mais sobre Noel Rosa a partir de grandes obras disponíveis na Amazon:

No Tempo de Noel Rosa, de Henrique Foréis Domingues (2013) - https://amzn.to/3n8B3Se

Noel Rosa: Poeta Do Samba, de Andre Diniz (2010) - https://amzn.to/39YoHIJ

Noel Rosa: Poeta Da Vila, Cronista Do Brasil, de Luiz Ricardo Leitao (2009) - https://amzn.to/39Y7rn5

Feitiço Da Vila: A Poesia De Noel Rosa Em Quadrinhos, de Vários Autores (2004) - https://amzn.to/2JRzIkw

Songbook Noel Rosa, de Almir Chediak (2020) - https://amzn.to/2W0qK6O

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W