Matérias » Brasil

Brasil: vivendo entre secas e inundações

Fartura de recursos hídricos no país produziu um pensamento falacioso que precisa ser mudado

Jorge Luiz da Paixão* Publicado em 21/03/2022, às 10h18

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - pixel2013, via Pixabay

O Brasil sempre foi um país reconhecido pela abundância de água. Essa ideia está centrada principalmente na disponibilidade de água nos rios amazônicos e na água subterrânea do aquífero guarani.

Essa fartura de recursos hídricos produziu uma percepção na população de que esse bem natural poderia ser utilizado sem critérios.

Este pensamento falacioso precisa ser mudado o mais rápido possível, pois a população brasileira em certas regiões já passa durante vários dias da semana em racionamento de água, ou seja, em situação de escassez hídrica.

O ano de 2021 foi marcado pela escassez de chuva no Brasil, reduzindo o volume dos reservatórios das usinas hidrelétricas, desta forma encarecendo a conta de luz dos brasileiros.

Além disso, inúmeras prefeituras declaram situação de emergência por causa da redução das vazões dos mananciais de abastecimento de água para a população.

Com o apagar das luzes de 2021 ocorreu o oposto dos problemas de escassez, surgiram o problema do excesso de água com as ocorrências das inundações causadas pelas precipitações elevadas e fora do normal no Estado de Bahia, Minas Gerais, São Paulo e por último no Estado do Rio de Janeiro.

O excesso e a escassez da água causam transtornos para a população, com prejuízos econômicos e materiais. Para minimizar os transtornos causados pelos extremos, secas e inundações, é imprescindível colocar água como temática em destaque.

O dia 22 de março foi estabelecido como Dia Mundial da Água pela ONU (Organizações das Nações Unidas). Diante do cenário vivido no Brasil nos últimos anos, será muito proveitoso debater esse tema com palestrantes de diferentes setores da sociedade. Portanto, neste dia especial, o Mackenzie Campinas realizará o evento SOS Água: Conhecer para cuidar em sua quarta edição, ainda de forma virtual.

O evento contará com as seguintes palestras: Gestão de Água Ambev; Observando os Rios: Mobilização e engajamento pela Água, Realidades e Desafios da Segurança Hídrica nas Bacias PCJ (Piracicaba, Capivari e Jundiaí): Um enfoque no setor industrial.

Com toda certeza essas palestras contribuíram para minimizar os problemas relacionados com o excesso e pela escassez da água, contudo é crucial a participação da população na gestão da água e principalmente na redução de sua demanda na prática diária.

Espera-se que o Dia Mundial da Água seja um dia de intensa reflexão para a tomada de decisões sobre a gestão da água em nosso país, evitando assim os velhos problemas conhecidos.


Jorge Luiz da Paixão Filho é coordenador dos cursos de engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, campus Campinas.