Matérias » Bizarro

Brenda Heist, a mulher que deixou os filhos na escola e nunca mais voltou para buscá-los

No meio de um processo de separação, a norte-americana fez uma escolha duvidosa e permaneceu desaparecida por 11 anos

Pamela Malva Publicado em 12/11/2020, às 22h30 - Atualizado às 22h41

Fotografia de Brenda depois que ela foi encontrada, em 2013
Fotografia de Brenda depois que ela foi encontrada, em 2013 - Divulgação/Youtube

Era um dia de semana em meados de 2002. A manhã estava apenas começando e os dois filhos de Brenda Heist tinham que ir para a escola. Então, da mesma forma que fez durante anos, a mulher levou os pequenos, de 8 e 12 anos, até a aula.

Quando as crianças voltaram para casa, no entanto, não encontraram sua mãe, como era de costume. Brenda havia sumido sem deixar rastros. Ela não deixou qualquer pista sobre seu paradeiro e simplesmente desapareceu da vida dos filhos.

Foram um total de onze anos de silêncio. Nesse meio tempo, o ex-marido da mulher desaparecida exigiu que a justiça a declarasse como morta. Em um dia de 2013, entretanto, a vida da família, que já estava abalada, mudou mais uma vez.

Brenda Heist em fotograifa de família / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Desespero e desamparo

Ainda em meados de 2002, Brenda e Lee Heist não estavam mais satisfeitos com seu casamento. As coisas não iam bem e todos os planos tinham saído do controle. Sem muita saída, os dois optaram pela separação.

Trabalhando como contadora, Brenda perderia sua casa no mesmo segundo em que assinasse os papéis do divórcio. Assim, ela recorreu ao Estado, pedindo por um auxílio-moradia. Na mesma época, todavia, o pedido foi negado.

Sentindo-se sozinha naquela trágica manhã, a mulher lembrou-se do convite que recebeu de alguns homens sem-teto. Eles iriam viajar, livres, sem quaisquer responsabilidades. E isso, sem dúvidas, atraiu a mãe desesperada.

Foto de Lee Heist durante coletiva de imprensa, em 2013 / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Sentimento de solidão

Inconscientemente, Brenda sentia medo de seu destino, já que ela não tinha para onde ir. Assim, não teve muitas coisas para colocar na balança quando cogitou viajar com aqueles homens estranhos. A única coisa que a segurava, na verdade, eram os filhos.

As crianças, no entanto, estariam bem cuidadas com o pai, ela sabia. Então Brenda decidiu viajar. Ela deixou seus filhos na escola, na Pensilvânia, e assumiu sua posição ao lado dos homens sem-teto, rumo à Califórnia.

Em um primeiro momento, Brenda e seus companheiros de viagem abusaram de caronas para chegar ao seu destino. Em seguida, sozinhos na nova cidade, fizeram o possível para sobreviver, aceitando diversos tipos de trabalhos.

Fotografias de Brenda antes e depois de seu desaparecimento / Crédito: Divulgação

 

Relacionamento na estrada

Antes de encontrar os chamados “bicos”, no entanto, Brenda e seus novos amigos viveram em baixo de pontes por dois anos. Suas refeições eram feitas em volta de lixeiras da cidade, procurando por restos bons o suficiente para comer.

Eventualmente, Brenda conheceu um homem com quem começou a se relacionar. Juntos, os dois passaram a viver em um acampamento e, durante sete anos, ganhavam dinheiro com os trabalhos improvisados que apareciam.

Segundo John Schofield, o detetive responsável pelo caso do desaparecimento de Brenda, a mulher não sofria de qualquer doença mental, nem usava drogas na época. Seu sumiço, então, era um mistério bizarro que ninguém conseguia solucionar.

Brenda, seu marido e os dois filhos em fotografia da família / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Se arrependimento matasse...

Os filhos de Brenda, Morgan Heist e seu irmão, procuraram por sua mãe durante anos. A polícia, por sua vez, fazia anúncios na mídia e movimentava oficiais para buscar pela mulher desaparecida. Só que mais de uma década se passou sem qualquer pista.

No dia 26 de abril de 2013, então, o mistério finalmente foi solucionado através de uma atitude da própria Brenda. Naquela tarde, cansada de lutar pela sobrevivência, ela foi até a polícia e avisou na recepção que as pessoas talvez estivessem procurando por ela.

Em uma simples pesquisa, descobriu-se que ela havia sido dada como morta em 2010, depois de oito anos desaparecida. O pedido do reconhecimento de óbito teria sido feito por Lee Heist, que casou-se novamente após a decisão judicial.

Brenda (à direita) com uma amiga, quando elas moravam em um acampamento, em 2011 / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Reencontro adiado

Na época do retorno de Brenda, Morgan Heist lamentou o acontecimento em suas redes sociais. Para a menina, seria impossível perdoar a mãe, que simplesmente desapareceu sem olhar para trás, deixando os filhos desamparados.

“Não acho que ela mereça me ver”, explicou Morgan, em entrevista à CNN na época. “Eu realmente não pretendo encontrá-la”. Segundo o detetive Schofield, Brenda parecia genuinamente emocionada com suas atitudes.

“Ela estava chorando quando a encontrei”, contou ele, na época. “Ela sabe que o que fez é completamente errado, mas, enquanto isso, nunca fez um esforço sequer para telefonar para a família.” A mulher desaparecida, então, foi localizada, mas não encontrou seus filhos de braços abertos, como talvez tenha planejado.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo, disponíveis na Amazon:

The Disappearance of Jean Spangler, de Charles River Editors (2018) - https://amzn.to/2z6PAKF

O Desaparecimento De Josef Mengele, de Olivier Guez (2019) - https://amzn.to/2SDhvIL

A verdade sobre o caso Harry Quebert, de Joël Dicker (2015) - https://amzn.to/3dn5sXE

O desaparecimento de Stephanie Mailer, de Joël Dicker (2019) - https://amzn.to/3dhUi6H

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W