Matérias » Música

A cantora pop que foi parar nos tribunais por querer morar em um convento histórico

O castelo, de quase 100 anos, foi motivo de disputa entre a artista americana Katy Perry e duas freiras que se recusavam a vender a propriedade

Alana Sousa Publicado em 11/10/2020, às 08h00

Montagem de uma das freiras e Katy Perry
Montagem de uma das freiras e Katy Perry - Monica Almeida / Getty Images

Vida de luxo e compras extravagantes. Assim podemos definir parte da saga de alguns grandes nomes da música pop. Ultrapassando o limite do considerado “normal” para a grande maioria das pessoas, estrelas da indústria musical quebram barreiras para realizar os mais peculiares desejos.

Assim foi o caso de Katy Perry, que estreou com seu hit I Kissed a Girl, em 2008 e, desde então, acumulou não só canções de sucesso, mas polêmicas que pararam o mundo do entretenimento. Em 2014, a cantora quis comprar um convento em Los Angeles, Califórnia, dando início a uma longa e conturbada batalha judicial — que acabou resultando até em morte.

A Batalha Perry x Callanan e Holzman

O motivo da disputa foi um convento construído em 1927 por Bernard Maybeck. Com estilo francês, o castelo de mais de nove mil metros de extensão, havia sido adquirido pelas freiras da Ordem do Coração Sagrado e Imaculado da Virgem Maria, no ano de 1972.

O convento disputado / Crédito: Divulgação

 

No início, cerca de 50 irmãs viviam no local, em 2014 apenas cinco restaram, mas duas vieram a público, sendo elas Catherine Rose Holzman e Rita Callanan. Naquele ano, a arquidiocese de Los Angeles passou a procurar compradores em potencial contra a vontade das freiras, que diziam ser as verdadeiras donas do local.

Pensando nisso, Catherine e Rita queriam vender a propriedade por conta própria, e decidiram por aceitar a oferta de Dana Hollister, que queria comprar o convento e transformá-lo em um hotel de luxo.

Para as freiras a proposta estava condizente com o que a propriedade valia, pouco mais de 800 milhões de reais, e assim pretendiam fechar negócio. Entretanto, outro acordo, feito pelo arcebispo José Gomez com a cantora Katy Perry, deixou as religiosas enfurecidas.

Se recusando a vender para a cantora americana, as freiras mencionavam as músicas e videoclipes de Perry como inaceitáveis. “Representa tudo em que não acreditamos. Seria um pecado vender para ela”, disse Holzman em entrevista à Billboard, em 2015.

Tentando convencer as irmãs a tirarem a imagem perturbadora que tinham, Katy fez uma visita às religiosas. No encontro, cantou música gospel, explicou sobre seu passado religioso e mostrou a tatuagem em homenagem a Jesus que tinha. De nada adiantou.

Em meados de 2015, as irmãs venderam a propriedade para Dana, que rapidamente se mudou para o local. Foi então que Perry e a arquidiocese entraram com um processo na justiça contra Hollister. Um dos advogados da estrela afirmou que a empresária "se aproveitou de freiras idosas e vulneráveis, que ela malevolamente convenceu a se opor à Igreja Católica Romana”.

Katy Perry no clipe da música Roar / Crédito: Divulgação/Youtube

 

O processo ficou aberto até 2017, quando o julgamento foi marcado. Ambas as freiras compareceram ao Tribunal para prestar apoio a Dana. Entretanto, após muita deliberação, a juíza Stephanie Bowick decidiu que Hollister tinha agido ilegalmente em sua compra, autorizando que a artista tivesse chance de adquirir o convento. “O tribunal concluiu que as irmãs não tinham autoridade para vender a propriedade para Hollister”, escreveu a juíza.

Em novembro de 2017, Hollister foi condenada a pagar milhões à arquidiocese e a Perry, por honorários advocatícios — declarando falência pouco tempo depois. Uma segunda fase do julgamento então começou, para definir quem receberia uma indenização por danos punitivos.

Morte no tribunal

Novamente, as freiras se apresentaram na Corte para apoiar Dana, porém dessa vez, a história tomou um rumo mais sombrio, e fatal. Em março de 2018, antes de entrar no tribunal, Holzamn, então com 89 anos, deu o que seria sua última declaração em vida.

“Para Kary Perry: por favor pare. Isso não está fazendo bem a ninguém, mas machucando um monte de gente” disse Catherine Rose Holzman, falou à Fox 11, minutos antes do acidente que tirou sua vida.

As freiras Catherine e Rita / Crédito: Divulgção/Fox 11

 

Dentro da corte, a irmã Catherine desmaiou e morreu subitamente. A morte, que foi descrita como um colapso, chocou a todos e atraiu ainda mais críticos da cantora pop. Em entrevista ao site do canal de TV Fox News, Rita Callanan, afirmou que Katy tem “sangue nas mãos”

A disputa, que atingira um nível de polêmica inimaginável, acabou sendo como Perry desejou desde o início. Após um contratempo com o Vaticano, que precisava também autorizar o negócio, a artista, finalmente, adquiriu de vez o convento por 52 milhões de reais, segundo a revista Monet.


+ Saiba mais sobre o tema por meio das obras disponíveis na Amazon

O livro da música clássica, de Vários Autores (2019) - https://amzn.to/2UXEqQy

Como Ouvir e Entender Música, de Aaron Copland (2017) - https://amzn.to/3c8V7ht

Falando de música, de Leandro Oliveira (2020) - https://amzn.to/2xkz6O5

Uma história da música popular brasileira: das Origens à Modernidade, de Jairo Severiano (2013) - https://amzn.to/34wM1sj

Uma breve história da música, de Roy Bennett (1986) - https://amzn.to/3a35ylg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W