Matérias » Crimes

Caos nas ruas e morte: O veterano de guerra que roubou um tanque nos EUA

Em 1995, o episódio gerou uma perseguição policial bizarra e deixou uma trilha de destruição pra trás

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 06/03/2021, às 08h00

Trecho de vídeo mostrando o tanque arrastando sinaleiras consigo
Trecho de vídeo mostrando o tanque arrastando sinaleiras consigo - Divulgação / Youtube

Em 1995, a cidade de São Diego, no estado norte-americano da Califórnia, presenciou um episódio incomum, que é até hoje relembrado pelos moradores da região: um homem roubou um tanque do arsenal da Guarda Nacional e foi alvo de uma perseguição policial que durou por volta de 22 minutos.

Segundo divulgado pelo Los Angeles Times na época, pelo menos 40 veículos teriam sido danificados, incluindo carros e uma van.

Outros itens, com o qual o tanque colidiu, foram hidrantes, postes de energia e sinaleiras. Por conta do poder do veículo, nenhum desses obstáculos teve qualquer chance, com aqueles que estavam no caminho sendo esmagados e destruídos como se fossem feitos de isopor. 

Fotografia de carro esmagado depois do acontecido / Crédito: Divulgação/ Youtube 

 

O culpado 

Shawn Timothy Nelson era um encanador autônomo e veterano do Exército. Quando lutou na Alemanha, inclusive, ainda de acordo com o Los Angeles Times, o norte-americano esteve em um batalhão de tanques, que é o motivo pelo qual sabia como dirigir o veículo militar. 

Segundo relatado pelos conhecidos de Nelson, como amigos, vizinhos e o próprio irmão, chamado Scott, a vida do encanador não andava bem: além dele ter perdido os pais para o câncer alguns anos antes, havia terminado com a namorada recentemente, enfrentava dificuldades financeiras e estava prestes a ser despejado de sua casa. Alguns conhecidos de Nelson procurados pela polícia ainda comentaram que o ouviram aludir à ideia de tirar sua própria vida. 

“O homem que morreu ontem era apenas uma casca da pessoa que amamos. O verdadeiro Shawn morreu há dois anos nas mãos das drogas e do álcool. Sentimos muito por todos os danos causados ​​e muito gratos por ninguém ter se ferido”, contou Scott para o Los Angeles Times, acrescentando ainda que: “Ele não era um louco armado. Ele precisava de ajuda”.

No fim, a perseguição só terminou quando as rodas do tanque travaram em uma intersecção com uma rodovia. Usando a oportunidade para pôr fim à situação de ameaça à segurança pública, até porque é muito difícil parar um tanque sem a presença de outros equipamentos militares, os policiais atiraram em Nelson, com um deles atingindo o veterano fatalmente. 

Fotografia de um modelo de tanque igual ao que Nelson usava / Crédito: Wikimedia Commons

 

“Não quero dizer nada sobre a polícia. Eles estavam fazendo seu trabalho.”, comentou Scott ainda. 

Consequências 

“Estou extremamente preocupada com a facilidade com que o indivíduo conseguiu entrar no Arsenal da Guarda Nacional. O arsenal guarda material e equipamentos militares que, quando caídos em mãos erradas, podem ser mortais. As medidas de segurança que estavam em vigor são claramente inaceitáveis”, declarou na época a prefeita Susan Golding em um comunicado.

Pouco tempo depois, foi iniciada uma investigação em relação à segurança do órgão, precedida de um reforço da mesma, para evitar que um episódio como esse voltasse a acontecer. 

Felizmente, ninguém se feriu gravemente, todavia, o veículo militar, que era do modelo M-60 e pesava 63 toneladas, deixou uma quantidade considerável de destruição no decorrer dos 9 quilômetros que percorreu. 

Em 2002, foi lançado um documentário chamado “Cul de Sac: A Suburban War Story”, que relembra o incidente. 

Veja abaixo um vídeo que mostra imagens do incidente: