Matérias » Brasil

Casa do Museu Imperial, Petrópolis guarda rico acervo do Brasil Império

Instituição conta com importantes itens e documentos que recordam a história do Brasil Império

Redação Publicado em 16/02/2022, às 09h10 - Atualizado em 21/03/2022, às 11h51

Alguns dos itens presentes no rico acervo
Alguns dos itens presentes no rico acervo - Divulgação/Vídeo/Youtube/Canal Rodrigo Ruas

A cidade de Petrópolis voltou a ser um dos assuntos mais comentados nesta segunda-feira, 21, diante de um triste fato. Chuvas que ocorrem na cidade têm causado caos na 'Versalhes brasileira'. 

No último domingo, 20, o temporal registrado em Petrópolis deixou, pelo menos, cinco mortos, conforme repercutido pela Agência Brasil. Felizmente, 31 pessoas foram resgatadas com vida. Até o início da última madrugada, 95 ocorrências foram registradas, sendo a maioria relatando deslizamentos.

História viva

A cidade abriga o Museu Imperial, criado em 1940 e aberto ao público em 1943, que conta com um dos maiores acervos da história de nosso país. Com peças raras - e documentos que marcam a queda da monarquia por aqui -, a instituição relembra a saga da família imperial brasileira e se tornou referência para os amantes de História. 

Divulgação/Vídeo/Youtube/Canal Rodrigo Ruas

A Revista Brasil entrevistou em novembro do ano passado Maurício Vicente Ferreira Júnior, diretor do museu, que relembrou os notórios itens que o acervo preserva. 

Quem visita o museu se depara não só com as coroas que foram usadas por Dom Pedro I e seu filho, Pedro II, o Cetro utilizado pelas figuras históricas ou até mesmo a pena que fora utilizada pela Princesa Isabel ao assinar o que entrou para a história do Brasil como 'Lei Áurea'.

Itens que carregam história

O local também permite conhecer o cofre utilizado pelos príncipes de Joinville, além de pinturas que relembram importantes momentos do Brasil Império, como a coroação de Dom Pedro II.

Divulgação/Vídeo/Youtube/Canal Rodrigo Ruas

"Nós temos lá as coroas usadas por D. Pedro I e D. Pedro II, O Cetro usado pelos dois imperados, temos o Trono, que era do Paço de São Cristóvão, lembrando que D. Pedro II usava quatro tronos, a pena usada pela Princesa Isabel para assinar a Lei Áurea", explicou o diretor ao veículo.

Divulgação/Vídeo/Youtube/Canal Rodrigo Ruas

"São objetos que tratam desse período, da produção artística do século XIX, lembrando também os documentos, o Museu possui mais de 250 mil documentos, é praticamente impossível um pesquisador elaborar um trabalho histórico desse período sem consultar o arquivo histórico do Museu Imperial", enfatizou ele.